Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Nossos pensamentos, conforme forem bons ou maus, podem nos conduzir ao paraíso ou ao inferno; isso não acontece nem no céu nem embaixo da terra, mas aqui, nessa vida.
Lucy Malory
Artigo

O QUE FAZ A AGITRA E QUAL SEU "PODER"

O QUE FAZ A AGITRA E QUAL SEU "PODER"

Algumas vezes, a diretoria da AGITRA é confrontada, por alguns colegas AFTs, sócios ou não, com a seguinte pergunta:

- O que a AGITRA faz e qual o seu "poder".

Quanto ao que a AGITRA faz, a resposta não pode ser breve, teria o interessado que acompanhar, pelo menos semanalmente, as notícias publicadas no site da entidade ou ler os boletins que chegam periodicamente à caixa de mensagens de cada um e participar de alguma atividade desenvolvida pela associação.

Depois de certo tempo, por alí, veria que as atividades da AGITRA se desenvolvem em quatro eixos principais : 1. Ações de acompanhamento e intervenção nas proposições tramitando no Congresso Nacional, como por exemplo, a PEC (proposta de emenda constitucional) Nº 555/06, sobre a contribuição previdenciária; os projetos de reajuste salarial, as inúmeras medidas de flexibilização da legislação trabalhista, aí incluida a proposta do "Código do Trabalho" etc.etc. 2. Acompanhamento e eventual propositura de ações judiciais de interesse da classe. 3. Ação junto ao Poder Executivo, aí incluido, acompanhamento de atos administrativos de interesse da classe, entrega e acompanhamento de petições, arrazoados, notas técnicas etc.etc. 4. Ações junto à sociedade, contatos permanentes com entidades nacionais e internacionais relativas à área do trabalho, outros sindicatos e associações de servidores públicos, empregados e empregadores privados. Também deve repassar informações aos associados, site, boletins, e-mail, etc. Em resumo, quem acompanha minimamente as atividades da associação observa que é nesses eixos que se desenvolve a atividade da AGITRA, visando cumprir seus estatutos e as atividades práticas determinadas na última " OFICINA DE PLANEJAMENTO", realizada com expressiva participação dos associados.

Quanto ao "poder" para implementar as suas propostas, precisamos explicitar o que o colega deve estar se referindo como poder. Certamente deve querer dizer, como Max Weber, que: " poder é a possibilidade de se impor a vontade própria ao comportamento de outras pessoas ".

O problema do poder de uma entidade sindical é baseado fundamentalmente no que os estudiosos referem como "simetria bimodal" da organização e, mesmo sem dar esse nome, qualquer um que milita numa associação sabe o que é isso.

JOHN KENNETH GALBRAITH, formidável economista, que esteve na linha de frente na concepção e implementação do New Deal nos Estado Unidos, após a fantástica crise de 1929, assim leciona a respeito da "simetria bimodal":

"A simetria bimodal da organização é uma das suas características mais óbvias, mais importantes e, muito curiosamente, uma das mais ignoradas. Conforme referido, o indivíduo submete-se aos objetivos comuns da organização e deste exercício interno do poder resulta a capacidade da organização impor externamente a sua vontade. De um depende o outro. Esta é a característica invariável de todo o exercício de poder organizado. Os sindicatos podem ilustrar a questão. Os seus membros, sejam quais forem as suas preferências individuais ou planos pessoais, aceitam os seus objetivos no que se refere a salários, condições de trabalho e outros benefícios. E independentemente das suas necessidades ou desejos, renunciam ao trabalho e ao pagamento em caso de greve. Desta submissão interna depende o poder externo do sindicato a sua capacidade para conquistar a submissão do empregador, ou, ocasionalmente, do governo. Se a solidariedade do sindicato, sinônimo de eficaz disciplina interna ou submissão, for elevada, então as hipóteses de se obterem as exigências do sindicato ou de uma greve bem sucedida são boas. O poder é exercido eficazmente. Se nas suas fileiras abundarem pessoas que não acatem as decisões do sindicato, fura-greves, informantes, ou homens de outro modo relutantes ou de tendência recalcitrante, a hipótese de êxito é menor. Deste modo, o poder externo resulta do interno." (A ANATOMIA DO PODER, autor citado, Edições 70, LDA. Lisboa, pag. 80/81). (Os grifos são nossos).

Como hoje, a maioria das entidades, aí incluida a AGITRA, é composta por vários associados que não se interessam pela vida associativa, não participam de reuniões, debates, assembléias, ou, no dizer do autor citado, mulheres e homens relutantes, o poder sindical é baixissimo. As pessoas surpreendentemente passaram a considerar a associação uma prestadora de serviços e elas como consumidores. Mas associação profissional nunca foi e nunca será uma empresa comercial. É em termos de solidariedade que se define uma entidade associativa.

Solidariedade, vamos especificar, na definição de CHARLES GIDE, como:

"sacrifício de um interesse individual, meu dinheiro, meu trabalho, meu tempo, minha liberdade em troca de uma vantagem social, a vantagem que o indivíduo encontra em formar parte de uma associação e que lhe confere os mais poderosos meios para seu desenvolvimento"... "Concorda-se no sacrifício de uma parcela do eu individual para fazer crescer o eu social, a associação profissional, o sindicato, é um dos melhores exemplos que se pode citar. O operário sindicalizado aceita realizar certo sacrifício, do seu dinheiro, sob a forma de contribuições, de suas noites para assistir às sessões e reuniões, de sua independência para cessar ou retomar o trabalho quando lhe é dado o sinal. Tudo isto com o objetivo de pertencer a uma associação poderosa que lhe defenderá e que lutará por seu salário, e que fará de sua impotência individual uma força, e que faz que pelo fato de estar sindicalizado se torne forte." (APLICAÇÕES SOCIAIS DA SOLIDARIEDADE, citado por H.H. Barbagelata, em A EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO DO DIREITO DO TRABALHO, LTr Editora, São Paulo, 2012, pag. 65).

Não ocorrendo participação e solidariedade não existe sindicato eficiente. Ocorre que a tendência social hoje é justamente oposta. O que cresce é o individualismo mais exarcerbado, ou, no dizer de CORNELIUS CASTORIADIS: "cada vez mais se vê desenvolver no mundo ocidental um tipo de individuo que não é mais aquele de uma sociedade democrática, mas um tipo de individuo que se tornou cínico em relação à política e enfermo no seu pequeno meio ambiente pessoal, em resumo, um indivíduo privatizado".

Que fazer, para tentar reverter esta situação? Na sua pequena esfera, a AGITRA clama por maior participação dos associados, vamos cerrar fileiras, vamos continuar e ampliar a atividade associativa.

José Cláudio Gomes, AFT aposentado.

Fonte: AGITRA
 
+ Artigo

NR 12 sob ataque dos patrões - Por Junéia Martins BatistaTodos os anos no Brasil dezenas de milhares de trabalhadores morrem ou ficam mutilados e

Combate ao trabalho infantil está na pauta de comissões do Senado - O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) proíbe o trabalho de crianças com menos de 16 anos, salvo na condição de me

MP denuncia Odebrecht por trabalho escravo de brasileiros em Angola - O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Araraquara entrou com uma ação civil pública contra o Grupo Odebrecht, alegand

REPRESENTAÇÃO DOS TRABALHADORES - A Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho elaborou uma lista de verificações sobre a " Participação dos Tr

NOVA DIRETIVA EUROPEIA PARA PROTEGER OS TRABALHADORES DA UE DOS CAMPOS ELETROMAGNETICOS NOCIVOS - A Regulamentação esclarece as definições dos efeitos adversos para a saúde, introduz um sistema atualizado dos limites d

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br