Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Quem não duvida, não examina; quem não examina, não percebe; e quem não percebe, permanece na cegueira e na confusão.
Al-Ghazali
25/01/2023

Trabalhadores pedem prioridade na lista de credores das Americanas e manutenção de empregos

Por Ana Flávia Pilar

Treze dias depois do início da crise na Americanas, pela primeira vez um representante da empresa se reuniu com funcionários e dirigentes de Sindicatos de Comerciários de vários estados brasileiros. Estimados em mais de cem mil pessoas entre empregos diretos e indiretos, os trabalhadores vêm manifestando preocupação com o futuro da companhia em conversas nos estabelecimentos e publicações nas redes sociais.

Segundo o presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro, Márcio Ayer, as reivindicações incluem fundamentalmente a preservação dos empregos e dos direitos trabalhistas, mas também a prioridade na lista de credores.

— Até o momento, não há demissões no Rio, mas mantemos diariamente contato com os trabalhadores, preocupados. O clima nas lojas é de apreensão e incerteza. Vamos lutar para que nenhum comerciário seja prejudicado e pague com seu emprego pelo descaso dos empresários da Americanas — afirmou.

Veja fotos das Lojas Americanas ao longo dos anos

Lojas Americanas: empresa foi fundada em 1929, na cidade de Niterói, no então estado da Guanabara, pelos empresários Max Landesmann (da Áustria), John Lee, Glen Matson, James Marshall e Batson Borger (dos Estados Unidos). — Foto: Reprodução

Em 1982, os principais acionistas do Banco Garantia, Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, entraram na composição acionária de Lojas Americanas como controladores. — Foto: Reprodução

11 fotos

Lojas Americanas na Rua Marechal Deodoro, em Juiz de Fora, em outubro de 1969. — Foto: Reprodução

Empresa com quase um século de existência está sob crise de R$ 20 bilhões em rombo financeiro

No encontro online estavam presidentes e diretores da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC), da Federação dos Comerciários do Estado de São Paulo (Fecomerciários e seus sindicatos filiados), da União Geral dos Trabalhadores (UGT Nacional) e da UGT São Paulo.

Representando a Americanas, o gerente de Recursos Humanos e Relações Sindicais, Lúcio Marques, disse estar otimista com o processo de recuperação judicial apresentado pela empresa.

Ao fim da reunião, Ayer conduziu um encontro só com sindicalistas. Ficou decidido que haverá um ato no Rio de Janeiro pela preservação dos empregos e dos direitos trabalhistas dos empregados da Americanas. Local e data da manifestação ainda serão definidos.

Em nota, a Americanas disse que " é uma varejista centenária e com amplo impacto social. A companhia soma mais de 40 mil colaboradores em todos os estados do país e reitera que se mantém comprometida com a transparência e as obrigações trabalhistas, como prevê a legislação. A companhia segue na construção de plano estratégico de otimização dos recursos para que decisões que garantam a sua sustentabilidade tenham efeitos em curto prazo. Entende, ainda, que é comum que haja reestruturação e reforça que manterá todos os seus colaboradores e públicos de interesse informados".

Fonte: O Globo
 
+ Capa

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br