Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Nada pode tornar a alma de uma pessoa mais suave do que a compreensão de sua própria culpa e nada pode tornar um individuo mais duro do que o desejo de estar sempre certo
O Talmude
21/09/2022

Ruralista baiana que queria demissão “sem dó” assina termo de conduta com MPT e vai se retratar

Ruralista baiana que queria demissão “sem dó” de quem votar em Lula vai se retratar

Empresária assinou um termo de conduta com MPT e vai divulgar esta semana em suas redes sociais vídeo em que se retrata e esclarece que assediar trabalhadores é uma prática ilegal, entre outros pontos

A ruralista baiana que divulgou vídeo estimulando os colegas empresários do agronegócio do oeste do estado a demitir 'sem dó' os trabalhadores e trabalhadoras que tenham intenção de votar no ex-presidente Lula (PT) assinou um termo de ajuste de conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e terá de se retratar, reconhecendo que errou ao praticar assédio eleitoral.

No TAC assinado na segunda-feira (19), Roseli Vitória Martelli D’Agostini Lins se comprometeu a fazer a retratação pública e custer uma campanha de esclarecimento sobre esse tipo de assédio, que é considerado um crime. Ela se ainda a não praticar qualquer outro ato de incitação ao assédio eleitoral. As informações foram publicadas pelo site Correio 24 horas.

Em caso de descumprimento das obrigações, podem ser cobradas multas de R$ 20 mil por cada item descumprido e a cada descumprimento constatado.

A ruralista se comprometeu a divulgar esta semana em suas redes sociais vídeo em que se retrata e esclarece que assediar trabalhadores é uma prática ilegal.

A título de dano moral coletivo, ela também concordou em custear campanha em emissoras de rádio da região oeste da Bahia e na capital do estado que reforça a liberdade do voto e a ilegalidade de qualquer atitude de empregadores no sentido de coagir trabalhadores a votar ou deixar de votar em candidatos em qualquer processo eleitoral.

Os spots serão veiculados a partir da próxima semana até as vésperas da eleição.

Em vídeo postado no dia 26 de agosto, Roseli Vitória Martelli D'Agostini Lins orientava empresários do setor de agronegócios a identificar e excluir de seus quadros trabalhadores que fossem votar em candidatos do PT à presidência e outro ao governo do estado.

Fonte: CUT/Correio da Manhã
 
+ Capa

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br