Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Minha religião é o amor a todos os seres vivos
Leon Tolstoi
24/01/2022

Após sanção do Orçamento, Mourão repete que espaço para reajuste de servidores é 'pequeno'

Bolsonaro manteve no Orçamento a reserva de R$ 1,7 bilhão, que quer usar para dar aumento à PF, à PRF e ao Depen.

Por Guilherme Mazui, g1 — Brasília

24/01/2022 09h50 Atualizado há 7 horas

Orçamento de 2022 sancionado por Bolsonaro é publicado com vetos no Diário Oficial

Orçamento de 2022 sancionado por Bolsonaro é publicado com vetos no Diário Oficial

Após o presidente Jair Bolsonaro sancionar o Orçamento da União de 2022 com a reserva de R$ 1,7 bilhão para reajuste a servidores públicos, o vice-presidente Hamilton Mourão voltou a dizer nesta segunda-feira (24) que o espaço para aumentos neste ano é "pequeno”.

A sanção do Orçamento foi publicada nesta segunda-feira (24) no “Diário Oficial da União”. Apesar de reservar recursos para reajuste, Bolsonaro ainda não decidiu se vai conceder o aumento.

LEIA MAIS:

Orçamento: Bolsonaro mantém fundo eleitoral de R$ 4,9 bilhões e valor de R$ 1,7 bilhão para reajuste de servidores

Espaço no Orçamento é 'pequeno' e Bolsonaro não decidiu sobre reajuste a servidores, diz Mourão

O presidente segurou o reajuste após servidores de outros setores do Executivo ameaçarem paralisação em protesto contra a decisão de Bolsonaro de conceder reajuste apenas à Polícia Federal, à Polícia Rodoviária Federal e ao Departamento Penitenciário Nacional.

"Tem esse espaço aí de R$ 1,7 bilhão, mas ele é pequeno, né? É um espaço pequeno, não dá para todo mundo. Vai dar o quê? R$ 0,10 para cada um de aumento?", afirmou Mourão nesta segunda.

Essa previsão de reajuste para as carreiras de segurança fez com que servidores de outras áreas também pleiteassem aumento para suas funções. Fiscais da Receita se demitiram em protesto.

Segundo a jornalista Ana Flor, colunista do g1 e da GloboNews, o presidente foi convencido pela equipe econômica do governo a adiar a decisão sobre o reajuste para março.

 
+ Clipagem

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br