Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

No reinado da lei, o pobre e o rico tem direitos iguais... e o pequeno vence o grande se tem por si a justiça; é uma idéia remota, pois vem de Euripides. Historicamente, porém, é uma idéia falsa: o direito nunca foi outra coisa senão uma organização das desigualdades.
Jean Cruet
29/12/2021

Servidores federais farão assembleia conjunta para decidir sobre mobilização por reajuste salarial

Categorias tentam pressionar o governo em busca de aumento de salário no ano que vem; reajuste está previsto apenas para policiais federais

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA - O presidente do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas do Estado (Fonacate), Rudinei Marques, informou que as diversas categorias de servidores federais farão uma assembleia conjunta na próxima quarta-feira, 29, às 10h30, para decidir sobre os próximos passos da mobilização por reajuste salarial.

"Essa crise veio em um momento ruim, com muitos servidores em recesso fora de Brasília. Está difícil articular e encontrar as pessoas. Mas temos uma reunião hoje com as chefias de vários órgãos para medir o grau de insatisfação", afirmou.

LEIA TAMBÉM

500 funcionários da Receita entregam cargos de chefia em protesto contra reajuste só para policiais

500 funcionários da Receita entregam cargos de chefia em protesto contra reajuste só para policiais

PUBLICIDADE

Rudinei Marques

Rudinei Marques, presidente do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas do Estado (Fonacate); diversas categorias de servidores federais farão uma assembleia conjunta na próxima quarta-feira para decidir sobre os próximos passos da mobilização por reajuste salarial Foto: Will Shutter/Câmara dos Deputados

Várias categorias do serviço público federal, como auditores fiscais, pressionam o governo federal por aumento de salário em 2022. A insatisfação aumentou depois que o presidente Jair Bolsonaro priorizou destinar R$ 1,7 bilhão para reajuste apenas de policiais federais, em um aceno eleitoral no ano em que tentará a reeleição. Os auditores da Receita Federal já adotaram a operação padrão nos aeroportos e demais alfândegas do País, como forma de pressionar o governo a regulamentar o pagamento de um "bônus de eficiência" à categoria.

Para Marques, o ideal seria que as demais categorias seguissem a Receita Federal e fizessem um movimento em bloco, para evitar uma onda de "perseguições e retaliações" por parte do governo.

"Vamos construir esse entendimento nos próximos dias. Não há mesa de negociação instalada, ainda vamos ter de trabalhar para abrir esse canal de comunicação com o governo. Em governos anteriores apresentávamos demandas e recebíamos sim ou não. Agora, nem isso", disse.

Na última sexta-feira, 24, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a concessão de reajuste a servidores públicos federais no próximo ano e afirmou que o teto de gastos públicos é "mortal", um problema para o governo. Ele comentou sobre o bônus de eficiência dos auditores e reconheceu as dificuldades orçamentárias. "A gente não quer furar teto, fazer nenhuma estripulia, mas não custava nada atendê-los", afirmou o presidente, que citou um impacto de aproximadamente R$ 200 milhões com o bônus aos auditores. "Ninguém pode prometer nada se não está no Orçamento. Realmente, o servidor está com dificuldade."

 
+ Clipagem

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br