Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Quanto mais espiritual o individuo faz a sua vida, menos medo ele terá da morte. Para uma pessoa espiritual a morte significa libertar o espírito do corpo. Tal pessoa sabe que as coisas com as quais vive não podem ser destruidas
Leon Tolstoi
19/02/2021

Auxílio emergencial será moeda de troca para ajuste fiscal; entenda o acordo

Paulo Guedes e lideranças do Congresso Nacional se reuniram nesta quinta-feira (18); valor do auxílio não foi divulgado

Redação

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Representantes do governo Jair Bolsonaro (sem partido) e lideranças do Congresso Nacional confirmaram nesta quinta-feira (18) a edição de uma Medida Provisória (MP) para retomar o auxílio emergencial, condicionada a medidas de ajuste fiscal a serem aprovadas em até uma semana.

O ajuste consistirá em uma fusão das Propostas de Emenda à Constituição (PECs) Emergencial e do Pacto Federativo, que tramitam desde 2019 e autorizam ações como redução de jornada e salário de servidores.

O acordo prevê que será incluída uma cláusula de calamidade, que dará segurança jurídica ao governo para liberar o gasto com o auxílio.

O valor e o número de parcelas da nova etapa do auxílio emergencial ainda não foram divulgados.

Participaram da reunião decisiva o ministro da Economia, Paulo Guedes, Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, e os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Este último afirmou que a aprovação da PEC não será uma contrapartida ao gasto com a assistência. O acordo prevê que a MP só será editada após a aprovação do ajuste.

O valor dos pagamentos continua em aberto. Em 2020, o governo pagou R$ 600 mensais a quase 64 milhões de pessoas, totalizando um investimento de cerca de R$ 290 bilhões.

Este ano, o valor deve ser menor. O Congresso trabalha com a possibilidade de estender o auxílio em R$ 300, enquanto o governo sinalizou que prefere adotar pagamentos de R$ 200.

Os critérios para acessar o benefício também prometem ser mais restritivos que no ano passado. No último dia 5, Guedes indicou que a nova etapa do auxílio deve contemplar "metade" dos que receberam os R$ 600 em 2020, ou seja, até 32 milhões de brasileiros.

Fonte: Brasil de Fato
 
+ Clipagem

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br