Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Quanto mais espiritual o individuo faz a sua vida, menos medo ele terá da morte. Para uma pessoa espiritual a morte significa libertar o espírito do corpo. Tal pessoa sabe que as coisas com as quais vive não podem ser destruidas
Leon Tolstoi
01/02/2021

Onde está a virtude republicana deste país?

Por Maria Rita Loureiro, professora titular aposentada da USP e da FGV EAESP.

Embora os homens não façam a história como querem e dependam das circunstâncias, há momentos cruciais em que a ação de líderes com algum poder de decisão pode mudar o curso da história. No exato momento em que o povo brasileiro vive a maior tragédia de saúde pública, com mortes diárias e acumuladas equivalentes a uma situação de guerra, assistimos, horrorizados, a degradação da cena pública, chegando ao último degrau da decência e civilidade: o presidente da república utilizando os mais baixos palavrões contra jornalistas, seguidos de risadas e aplausos de seus asseclas, muitos com altos cargos na hierarquia do Estado. Frente às cenas de pesadelo nos hospitais, que poderiam ser evitadas, e as de grosseria e escárnio na churrascaria de Brasília, que nos envergonham e precisam ser urgentemente rejeitadas e punidas, a pergunta de

Caixa de entrada

Luiz Augusto Correa Kern

dom., 31 de jan. 19:17 (há 5 horas)

para mim

Onde está a virtude republicana deste país?

Por Maria Rita Loureiro, professora titular aposentada da USP e da FGV EAESP.

Embora os homens não façam a história como querem e dependam das circunstâncias, há momentos cruciais em que a ação de líderes com algum poder de decisão pode mudar o curso da história.

No exato momento em que o povo brasileiro vive a maior tragédia de saúde pública, com mortes diárias e acumuladas equivalentes a uma situação de guerra, assistimos, horrorizados, a degradação da cena pública, chegando ao último degrau da decência e civilidade: o presidente da república utilizando os mais baixos palavrões contra jornalistas, seguidos de risadas e aplausos de seus asseclas, muitos com altos cargos na hierarquia do Estado.

Frente às cenas de pesadelo nos hospitais, que poderiam ser evitadas, e as de grosseria e escárnio na churrascaria de Brasília, que nos envergonham e precisam ser urgentemente rejeitadas e punidas, a pergunta de Hannah Arendt sobre o holocausto, de novo precisa ser lembrada: Como isso foi possível?

Se a realidade é de pessimismo, é necessário buscar algum otimismo para agir. Só nos resta exortar uma eventual virtude de políticos com poder de decisão para tentar mudar o curso trágico da história. O povo agora está impedido de ir às ruas.

Se a pandemia tem escancarado os traços da figura do presidente, revelando incompetência, descaso deliberado e mesmo inacreditável deboche com relação à doença e às mortes já ocorridas e anunciadas, esta situação por outro lado, traz, infelizmente, também uma vantagem política para ele: a necessidade de isolamento físico impede as manifestações de multidões na rua em protesto contra seu desgoverno.

É preciso, então, que aqueles com poder de decidir tenham capacidade de compreender as circunstâncias e de agir com responsabilidade, avaliando as consequências de sua omissão com relação ao presente e ao futuro: as instituições que ainda restam da democracia construída penosamente em 1988 podem ser também rapidamente destruídas. Haverá líderes com virtude política republicana neste momento no país?

É preciso repetir: impeachment já.

 
+ Capa

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br