Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Existe uma estratégia administrativa para resistir à ação legal e judiciária dos particulares: silencios sistemáticos ou atrasos voluntários
Jean Cruet
01/06/2020

A marcha autoritária

Por ANDRÉ SINGER*

O presidente da República está procurando diminuir e se possível eliminar o sistema de freios e contrapesos próprios da nossa organização política.

A decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes de pedir busca e apreensão em endereços de dezessete envolvidos na investigação sobre fake news, resultando em vinte e nove ações de busca e apreensão representa uma aceleração importante na conjuntura político-institucional. Os mandados, emitidos no dia 27 de maio, vêm na esteira de uma sequência de acontecimentos graves.

O primeiro fato preocupante é o conteúdo da reunião ministerial do dia 22 de abril, divulgado por ordem do ministro Celso de Mello exatamente um mês depois, no dia 22 de maio. O vídeo tornou pública uma série de fatos inquietantes que indicam uma marcha autoritária. Entre outras, há uma fala do Presidente da República na qual ele se diz favorável a armar a população para resistir à orientação de isolamento social que governadores e prefeitos estão implantando por conta da disseminação do coronavírus, seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde.

Na sequência, na terça-feira, 26 de maio, a Polícia Federal fez no Rio de Janeiro uma operação de busca e apreensão no Palácio Guanabara, residência oficial do governador Wilson Witzel. Independente do fato de que possa ou não ter havido desvios, o fato é que muitos analistas interpretaram esta ação como o primeiro resultado da mudança feita recentemente na Polícia Federal, particularmente a do Rio de Janeiro, pelo Presidente da República.

Sinaliza-se assim a utilização da Polícia Federal contra um adversário político, pois o governador Witzel se tornou recentemente um opositor do Presidente da República.

Por fim, temos a decisão do ministro Alexandre de Moraes de investigar por meio de busca e apreensão uma série de personagens, empresários, blogueiros, etc. ligados ao Presidente da República. Fato este que constitui um ponto a mais nessa escalada de tensão que está envolvendo os poderes constitucionalmente estabelecidos no Brasil.

O substrato dos conflitos

Trata-se, na verdade, de um processo que decorre da tentativa do Presidente da República de alargar o seu próprio poder, procurando dissolver o balanço próprio da democracia entre poder e contrapoder. Ele está procurando diminuir e se possível eliminar o sistema de freios e contrapesos próprios da nossa organização política encarnados na independência do poder judiciário e do poder legislativo.

Jair Bolsonaro se insurge contra as limitações impostas ao poder executivo pelo judiciário e pelo legislativo. Trata-se, no entanto, de um movimento que é recíproco porque o executivo também deve limitar o poder do legislativo e do judiciário. Este sistema foi inventado pelos norte-americanos no século XVIII (e o mundo inteiro acabou adotando-o) visando a marcha para a ditadura. Ele constitui, portanto, uma forma de garantir a democracia. O que estamos assistindo, assim, é a tentativa dos dois poderes, o judiciário e, até certo ponto, o legislativo, de resistir a uma série de ações que se encaminham no sentido de um alargamento do poder executivo.

*André Singer é professor titular do Departamento de Ciência Política da USP.

Artigo estabelecido a partir de entrevista concedida a Gustavo Xavier na rádio USP.

Fonte: A Terra é Redonda - site
 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br