Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Perdoe os outros por muitas coisas, mas não perdoe a si mesmo por nada.
Publilius Syrus
26/03/2020

Unafisco quer projeto para taxar as grandes fortunas

Proposta deve ser apresentada ao senador Major Olímpio, relator do PLC 183, que trata do assunto

A Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco) vai apresentar proposta para criação de Imposto sobre Grandes Fortunas (IGP) para o senador Major Olímpio que é o relator do projeto de lei complementar (PLC) 183, que trata do assunto, na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). O objetivo é fazer ajustes no projeto apresentado pelo senador Plínio Valério (PSDB/AM) e destinar os recursos para o combate ao coronavírus.

Pela proposta da Unafisco, seria possível ter uma arrecadação de té R$ 58,805 bilhões com uma alíquota única de 4,8% para quem tem patrimônio acima de R$ 4,67 bilhões. Também existe a possibilidade de se fazer alíquotas progressivas a partir de 0,5%. Neste caso a arrecadação seria menor (R$ 38,9 bilhões). O PLC 183/2019 prevê a criação do imposto sobre grandes fortunas, cujo fato gerador consiste na titularidade de patrimônio líquido de valor superior a 12 mil vezes o limite mensal de isenção do imposto de renda de pessoa física e cuja alíquota varia de 0,5% a 1%, de acordo com o valor do patrimônio.

O senador Major Olímpio disse ao Valor que está em fase de avaliação do projeto e pedindo dados para o ministério da Economia sobre impactos na arrecadação. Segundo ele, hoje o país está em uma situação na qual precisa arrumar recursos para financiar suas ações e a indústria, o comércio e os cidadãos comuns não teriam espaço para arcar com isso.

“Nesse sentido, o que se apresenta é a taxação sobre grandes fortunas. Estou avaliando ainda os percentuais a serem aplicados e se haverá uma destinação específica para o coronavírus”, disse. Olímpio acrescentou que não existe no momento um acordo político para avançar o projeto. Segundo o presidente da Unafisco Nacional, Mauro Silva, como a criação de novo tributo seria possível apenas para vigorar a partir do próximo ano, ele vai sugerir a criação do empréstimo compulsório (antecipação do pagamento neste ano com compensação do contribuinte a partir do momento que a cobrança do imposto começar).

Essa alternativa é possível do ponto de vista técnico, caso precise de recursos para financiar a reação à crise. O dispositivo está previsto no artigo 148 da Constituição. Nesse caso, a base de incidência poderia ser grandes fortunas também. Para o sócio do escritório Mattos Filho Advogados Roberto Quiroga de fato a Constituição prevê que em caso de calamidade, mesmo nessa modalidade ligada à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), possa ser acionado o empréstimo compulsório para o financiamento de despesas extraordinárias geradas por situações de calamidade. Ele explica que o recurso, nesse caso, teria que ser devolvido futuramente pelo governo. Quiroga, contudo, considera que essa medida ou a elevação de tributos seriam contraproducente para a economia, em um momento em que se demanda ter capital nas empresas e famílias. Mauro Silva afirmou que os cálculos e estimativas da entidade foram feitas com base na média de arrecadação desse tributo em países da OCDE (Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômico) e considera elevada a concentração de renda no Brasil em relação aos outros países com o uso do Índice Gini.

Fonte: Valor Econômico
 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br