Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

A vida que nós recebemos nos foi dada não para que simplesmente a admiremos, mas para que estejamos sempre a procura de uma verdade escondida dentro de nós.
John Milton
16/01/2020

“Apagão” do INSS era esperado e intervenção com militares é "absurda", diz federação

Entidades afirmam que crise é fruto de desmonte da área e que governo foi alertado sobre os riscos

Nara Lacerda

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

A paralisação nas análises de pedidos de concessão de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é resultado direto da insuficiência de servidores e do sucateamento do setor. A avaliação é de entidades que representam os trabalhadores da área, que afirmam que o risco vem sendo informado ao poder público desde o governo de Michel Temer.

Em nota, a Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) afirma que a solução apresentada pelo governo – contratar 7 mil militares da reserva para reforçar o atendimento – não vai resolver a demanda de quase 2 milhões de processos parados, que tendem a aumentar.

A entidade ressalta ainda que a medida é inconstitucional e descumpre a norma que rege a carreira do seguro social. Segundo a lei, o serviço só pode ser prestado por concursados da área. “Como a gestão do INSS vai transformar militares em especialistas previdenciários em curto espaço de tempo?”

De acordo com a Fenasps, o quadro de servidores foi reduzido em 40% nos últimos anos e os milhões de processos parados na nuvem virtual representavam uma bomba-relógio. A ampliação do atendimento digital não chega a todos os brasileiros, já que 39% da população sequer têm acesso à internet.

No ano passado o governo automatizou 90 serviços prestados nas agências do INSS e informou a intenção de fechar 50% das Unidades Administrativas de Serviços Gerais do INSS, privilegiando o atendimento digital.

"Cortina de fumaça"

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirmou que o custo das contratações será de R$ 14,5 milhões por mês. Ele disse ainda que as mudanças seriam implementadas até abril e que a até setembro a fila de pendências seria solucionada, mas que o estoque não será zerado.

“Você tem 988 mil pedidos que entram todos os meses, não dá para zerar estoque. O que a gente está dizendo é que pretende que todo mês, até setembro, outubro, a gente tenha aí esse número de requerimentos da mesma quantidade que temos capacidade de processar”, explicou Marinho.

Moacir Lopes, secretário de administração da Fenasps, rebate ressaltando a necessidade urgente de concurso público para a formação de novos servidores.

Colocar quem não é qualificado e não conhece a função abre uma porta para a ocorrência de fraudes.

“O governo está criando uma cortina de fumaça para tentar de novo vender um produto que não vai entregar. É um processo de enxugar gelo. Esses militares, com todo respeito à carreira militar, não têm noção do que é a previdência militar. É uma intervenção absurda, desnecessária e sem objetivo. Vão gastar recursos públicos a toa e não vão resolver o problema central da previdência social.”

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social (CNTSS), Sandro Alex de Oliveira Cezar, afirma que a solução apresentada pelo governo causa perplexidade e demonstra falta de conhecimento em administração pública.

“Desde o governo Temer eles vêm reduzindo a presença do estado na sociedade, mas isso tem gerado caos. Já são dois milhões de benefícios represados e nós voltamos a ter as filas do INSS, que eram coisa do passado! O processo previdenciário requer uma análise minuciosa a fim de evitar enganos e minimizar a possibilidade de fraude. Colocar quem não é qualificado e não conhece a função abre uma porta para a ocorrência de fraudes.”

A Fenasps pretende buscar apoio e questionar as contratações na Controladoria Geral da União e no Tribunal de Contas da União, além de buscar apoio na OAB e no Ministério Público.

Fonte: Brasil de Fato
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br