Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O bom texto não é escrito, é reescrito
Ovídio
19/11/2019

Sem o apoio d@s trabalhador@s, nada feito

João Guilherme Vargas Netto

Quando um grupo é atacado por um adversário poderoso que agride seus interesses, sua coesão e sua experiência há nas respostas possíveis uma gradação que vai desde a aceitação, passa pela contenção de danos e pela resistência e chega à contestação, tudo junto e misturado.

Neste embate as direções do grupo, para se preservar, procuram fazer uma criteriosa análise da correlação de forças, principalmente da disposição do grupo em enfrentar a agressão.

De todo modo a grande virtude das direções deve ser a de saber orientar o grupo em defesa de seus interesses, de sua coesão e de sua experiência e colocá-lo no melhor caminho para obter aquilo que se compreende como o possível, o desejado e o alcançável.

Frente às agressões do bolsonarismo em que grau se situa a reação dos trabalhadores e em que medida as ações propostas pelas direções sindicais são as mais eficazes?

As respostas a estes dois questionamentos são necessárias para que se estabeleça uma tática coerente da ação dos trabalhadores e das direções sindicais.

Não deve haver a tentação dupla da capitulação e da aventura, ambas prejudiciais aos trabalhadores e ao movimento, uma de imediato e a outra no transcorrer do tempo.

Sem o apoio da massa de trabalhadores formais e sem a busca de relações com a massa de trabalhadores desempregados ou com empregos precários as decisões dos dirigentes passam a ser meras intenções vazias que contribuem ainda mais para o divórcio entre elas e os apoiadores.

Rejeitada a aceitação pura e simples, o caminho da contenção de danos, da resistência e da contestação deve ser trilhado passo a passo com a base e as manobras de cúpula (que são necessárias) têm sua validação e sua aceitação não no ambiente em que prosperam, mas na vida dura dos que não participam delas.

Qualquer ganho nesse processo, por pequeno que seja, deve ser valorizado como elemento essencial na acumulação de forças necessárias para a vitória, que deve ser d@s trabalhador@s.

* É consultor sindical de diversas entidades de trabalhadores em São Paulo

Fonte: Vermelho
 
+ Capa

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br