Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Jamais culpe o seu próximo antes de ter estado em seu lugar.
O Talmude
13/11/2019

Centrais vão às ruas nesta quarta para denunciar pacote de maldades de Bolsonaro e Guedes

Para presidente da CUT, é fundamental conversar com a população, se organizar e lutar contra política econômica do governo, que só aumenta a desigualdade e a pobreza

Publicado por Érica Aragão, da CUT

Representações dos trabalhadores, como a CUT, organizam mobilizações para levar informações à população sobre impactos das medidas econômicas do governo Bolsonaro. Para Sergio Nobre, "Além dos locais de trabalho, precisamos ir aos locais de moradia da população"

Portal CUT Brasil – Para denunciar que a política econômica da dupla Jair Bolsonaro, presidente da República e seu ministro da Economia, Paulo Guedes, é praticamente uma cópia da que foi implantada no Chile há décadas e que levou a população à miséria, as centrais sindicais CUT, CTB, CSP- Conlutas, Força Sindical, UGT, CSB, CGTB, Nova Central, Intersindical estarão nas ruas do centro de São Paulo nesta quarta-feira (13).

Nas proximidades do Teatro Municipal, no centro da capital paulista, a partir das 9 horas, sindicalistas vão fazer panfletagem e dialogar com a população com objetivo de alertar sobre as medidas do governo de Jair Bolsonaro (PSL) e seu ministro da Economia, o banqueiro Paulo Guedes, que sempre beneficiam os empresários e prejudicam os trabalhadores e trabalhadoras.

Além da reforma da Previdência, que dificulta o acesso aos benefícios previdenciários, o governo Bolsonaro agora quer criar a chamada Carteira de Trabalho Verde e Amarela. com menos direitos trabalhistas, impedir novos investimentos em áreas essenciais para a população, reduzir jornadas e salários de servidores públicos e acabar com o aumento de reajustes de benefícios sociais com base na inflação.

É disso que se trata o “Plano Mais Brasil” – apresentado na semana passada, composto por três propostas de emenda à Constituição (PECs): a Emergencial, a de Fundos Públicos e a do Pacto Federativo – que, segundo economistas, não melhora a economia e só aumenta a desigualdade no país.

Os sindicalistas vão dizer também à população que este pacote de Guedes é praticamente igual ao que foi implantado no Chile há décadas e que levou os chilenos às ruas em massa. A população quer empregos, aposentadoria digna, ter dinheiro para pagar contas de luz e água, que lá são privatizadas, caras e inacessíveis.

“As PECs anunciadas por Bolsonaro e Guedes atacam diretamente os mais pobres e a classe trabalhadora, além de piorar a crise social e econômica em que o país está vivendo. Eles querem implementar as mesmas medidas que fizeram no Chile e não podemos permitir”, afirmou o presidente da CUT, Sérgio Nobre.

Segundo o dirigente, esta é a primeira de uma agenda de ações das centrais porque a ideia é mobilizar também os bairros, as comunidades, as feiras e praças para dialogar com a população e, principalmente, com os desempregados.

Para Sérgio é preciso que os sindicatos façam a mesma coisa.

“Além dos locais de trabalho, precisamos ir aos locais de moradia da população para alertar que se não se organizar e não vier para a luta contra este pacote de crueldade iremos enfrentar um caos e a situação econômica e social do país pode piorar”.

Plano emergencial

As centrais irão apresentar, na segunda-feira (18), no Sindicato dos Químicos de São Paulo, um Plano Emergencial para conter a crise, o desemprego, a fome e a tragédia social que seguem crescendo no país.

“O Plano Emergencial será feito coletivamente pela classe trabalhadora, centrais sindicais, movimentos sociais, as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, partidos políticos e igrejas e tem como principal objetivo proteger o setor mais vulnerável da população, em especial o desempregado”, disse o presidente da CUT, Sérgio Nobre.

Fonte: Rede Brasil Atual
 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br