Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

É preciso que se respeite toda e qualquer pessoa, por mais miserável e ridícula que seja. É preciso que todos se lembrem de que em toda e qualquer pessoa vive o mesmo espírito que vive em cada um de nós.
Schopenhauer
18/10/2019

Governo prepara pacotão de reformas para enviar ao Congresso após votação de Previdência

O ministro Paulo Guedes se reuniu com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, para discutir medidas; pacote deve incluir a reorganização no 'RH do Estado' e simplificação de tributos

Lorenna Rodrigues e Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA - O governo pretende apresentar na próxima quarta-feira, após a votação no Senado da reforma que muda as regras de aposentadoria, a agenda econômica “pós-Previdência”. O pacote deve incluir reforma administrativa, para reorganizar o "RH do Estado", reforma tributária, com vistas à simplificação dos impostos, e a antecipação de medidas de ajuste já previstas na Constituição.

LEIA TAMBÉM

>

Governo quer criar ou extinguir órgãos sem precisar de aval do Congresso

O pacotão - que tem sido chamado de "agenda de transformação" - foi detalhado pelo Estado no fim de setembro. Nesta quinta-feira, 17, foi o tema de reunião de parlamentares com a equipe econômica no Ministério da Economia. Outra reunião está prevista para a próxima segunda-feira.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), participou da reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM- AP), e disse que não existirá uma ordem de prioridade entre os projetos. “Não tem ordem, todas são relevantes, tem uma engrenagem que uma encaixa na outra. Precisa de solução para tudo e esperamos que a Câmara e Senado em conjunto possam colaborar”, afirmou.

inRead invented by Teads

Rodrigo Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Foto: Felipe Rau/Estadão

Segundo ele, nos próximos dias será definido quais projetos serão tocados pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal. “Vamos trabalhar pela comissão mista da reforma tributária e organizar a reforma administrativa e a PEC da regra de ouro para que cada uma comece por uma Casa”, disse. Maia acrescentou que existe uma lista com projetos de lei a serem enviados pelo governo, mas não citou os temas.

De acordo com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), a expectativa é votar a reforma da Previdência na Casa na próxima terça-feira, 22. “Temos ambiente de amplo acordo no Senado, temos mantido conversas permanente com lideranças partidárias. As coisas estão bem calmas no Senado, até terça feira votamos a reforma da Previdência”, afirmou.

Ele disse que, na próxima segunda-feira, o governo apresentará detalhes dos textos das próximas reformas e de projetos de lei da área econômica. “Quarta-feira, após a votação da reforma da Previdência, o governo vai apresentar a sua agenda, que passa pela regra de ouro, reforma administrativa, tributária e outras questões. Vamos decidir na segunda-feira o que ficará para o Senado, quando conhecermos no detalhe as propostas.”

Medidas em estudo pelo governo

Gatilhos

A regra de ouro proíbe que o governo se endividar para pagar despesas correntes, como aluguel e pessoal. A PEC do deputado Pedro Paulo (DEM-RJ) redesenha as regras fiscais para permitir acionar mais rapidamente medidas de contenção de gastos (os chamados “gatilhos”) previstas na Constituição, criando novos freios para as contas, como a proibição do reajuste a servidores. “A PEC do deputado Pedro Paulo será usada de uma forma ou de outra”, disse Maia.

PEC 3Ds

O governo deve enviar também a proposta de Guedes de desvincular (retirar os “carimbos”), desindexar (remover a necessidade de conceder automaticamente reajustes) e desobrigar o pagamento de despesas. Essa nova proposta tem recebido o apelido de PEC DDD.

Reforma administrativa

Em resumo, a reforma administrativa deve diminuir o número de carreiras, reduzir o salário de início de carreira dos servidores federais e propor novas regras para contratação, desligamento e promoção. Hoje, o Estado antecipou que o governo quer incluir nessa reforma a criação e extinção de órgãos e ministérios por decreto. Atualmente, esse tipo de mudança precisa de aval do Congresso.

Reforma tributária

A reforma tributária é a que menos tem consenso. Mais cedo, o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, disse que a reforma tributária não será aprovada rapidamente porque seria complexa e por não haver acordo no setor produtivo. "O acordo que a gente precisa é com a sociedade. O setor produtivo é parte do sistema, mas as pessoas precisam entender que há uma distorção muito grande, sendo que alguns setores não pagam imposto e outros pagam demais", afirmou Maia.

Ele voltou a dizer que alguns setores terão que pagar mais impostos para que outros passem a pagar menos, no reequilíbrio proposto ao sistema tributário brasileiro. 'Todos esses setores foram muito patrióticos na reforma da Previdência porque não foram atingidos, agora é normal que se transfira carga tributária no novo sistema, que não pode atender a interesses particulares", completou.

Em entrevista ao Estado, o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, sinalizou que a reforma tributária deve começar com a simplificação do PIS/Cofins.

Fonte: Estadão
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br