Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Quanto mais corrupto for o país, mais leis ele terá
Tácito
26/07/2019

Agora que a PF tem a íntegra das mensagens, Moro pode apontar quais foram inventadas

Subordinada a Sérgio Moro, a Polícia Federal informou ter obtido os arquivos que o supostohacker de Araraquara teria acessado em contas do Telegram de autoridades.

Portanto, agora a PF pode fazer uma perícia para demonstrar se as mensagens são ou não verdadeiras.

Comparando o conteúdo do que foi apreendido com os vazamentos originários do Intercept Brasil, Moro poderia apontar exatamente quais trocas de mensagens foram inventadas ou distorcidas ou tiradas de contexto.

Por que um hacker atuaria para obter ilegalmente mensagens e depois se daria ao trabalho de inventá-las?

A lógica, como notamos anteriormente, não é o forte de Moro e dos bolsonaristas.

A revista Carta Maior notou: “O comportamento do ministro da Justiça no caso dos hackers de Araraquara confirma o do juiz nos vazamentos da Lava Jato: a condenação antecede as provas; o processo é induzido p/ servir a convicções políticas; a opinião pública é insuflada como massa de manobra jurídica/eleitoral”.

O próprio Glenn Greenwald afirmou que Moro pode se tornar refém do conteúdo que agora a PF tem em mãos:

Moro e Deltan insinuaram desonestamente que o material não é autêntico, embora todos os jornalistas que o examinaram o verificassem. Mas se o PF tiver o acervo, poderá verificá-lo. Tb é agora lícito, o que significa que pode ser usado em tribunais.

Subordinada a Sérgio Moro, a Polícia Federal informou ter obtido os arquivos que o supostohacker de Araraquara teria acessado em contas do Telegram de autoridades.

Portanto, agora a PF pode fazer uma perícia para demonstrar se as mensagens são ou não verdadeiras.

Comparando o conteúdo do que foi apreendido com os vazamentos originários do Intercept Brasil, Moro poderia apontar exatamente quais trocas de mensagens foram inventadas ou distorcidas ou tiradas de contexto.

Por que um hacker atuaria para obter ilegalmente mensagens e depois se daria ao trabalho de inventá-las?

A lógica, como notamos anteriormente, não é o forte de Moro e dos bolsonaristas.

A revista Carta Maior notou: “O comportamento do ministro da Justiça no caso dos hackers de Araraquara confirma o do juiz nos vazamentos da Lava Jato: a condenação antecede as provas; o processo é induzido p/ servir a convicções políticas; a opinião pública é insuflada como massa de manobra jurídica/eleitoral”.

O próprio Glenn Greenwald afirmou que Moro pode se tornar refém do conteúdo que agora a PF tem em mãos:

Moro e Deltan insinuaram desonestamente que o material não é autêntico, embora todos os jornalistas que o examinaram o verificassem. Mas se o PF tiver o acervo, poderá verificá-lo. Tb é agora lícito, o que significa que pode ser usado em tribunais.

 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br