Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O bom texto não é escrito, é reescrito
Ovídio
07/06/2019

Venda de estatal deve ter OK do Congresso; subsidiária, não, decide STF

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu hoje que a venda de estatais exige aprovação do Congresso Nacional, mas a venda das subsidiárias das estatais está liberada dessa exigência. Significa, por exemplo, que a Petrobras não pode ser vendida sem passar pelo Congresso, mas a Petrobras Distribuidora pode. Além disso, a Corte definiu que a venda de estatais precisa ser feita via licitação, regra que não se aplica às subsidiárias. O julgamento começou ontem e terminou no início desta noite de ontem.

O resultado derruba decisão do ministro Ricardo Lewandowski, que, em junho do ano passado, determinou a exigência de autorização legislativa sempre que houver perda do controle acionário da empresa. O magistrado aceitou pedido feito pelos sindicatos dos petroleiros e trabalhadores de refinarias. O STF ainda precisa julgar um caso específico sobre a questão das estatais, relacionado à TAG (Transportadora Associada de Gás), subsidiária da Petrobras. Noventa por cento da empresa seria vendida por US$ 8,6 bilhões, mas o negócio foi suspenso após decisão do ministro Edson Fachin. O julgamento sobre a venda da TAG está marcado para 12 de junho.

Venda de "empresa mãe" Relator do caso, o ministro Ricardo Lewandowski, votou a favor de que a venda de estatais deva ser autorizada pelo Congresso, já que a criação de estatais depende de aprovação dos parlamentares. "Para retirada do estado da atividade econômica é preciso também autorização do Parlamento", declarou. Os demais ministros seguiram o entendimento do relator. As ministras Carmem Lúcia e Rosa Weber defenderam, além disso, que a venda dessas empresas precisa ser feita por um processo de licitação. Venda de subsidiárias O relator Lewandowski também defendeu a necessidade de aval do Congresso no caso das subsidiárias. Ele se disse aberto a discutir se valeria uma lei ou se o Congresso deveria votar caso a caso. Concordaram com ele os ministros Edson Fachin e Rosa Weber. Para Weber, a venda de subsidiárias também precisa atender outro critério: ser feita por meio de algum processo de concorrência. Ela não especificou qual. Por outro lado, votaram contra a exigência de aprovação do Congresso os ministros Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Luiz Fux, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Dias Toffol.

 
+ Capa

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br