Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O que sempre dá ouvidos ao que outras pessoas dizem a seu respeito jamais encontrará paz interior.
Leon Tolstoi
02/05/2019

Ex-governadores do RS criticam regime de capitalização da Previdência

O artigo 60 da Constituição Federal afirma: “não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir os direitos e garantias individuais”. Com base nesta premissa da Carta de 1988, o advogado Tarso Genro defendeu a suspensão da Proposta de Emenda Constitucional que altera as regras de aposentadorias e o sistema previdenciário. Em entrevista ao programa Esfera Pública da Rádio Guaíba, segunda-feira (29), o ex-governador e ex-ministro da Justiça apontou as ilegalidades da Reforma da Previdência que está em análise pelo Congresso Nacional.

“Essa proposta não poderia tramitar. Deve ser interrompida a sua tramitação para que o Governo Federal modifique artigos que estão abolindo determinados direitos. E o que está sendo abolido, por exemplo, é a garantia de um sistema de previdência solidário”, afirmou ao aprofundar a proposta de criação do regime de capitalização, que poderá desobrigar que a União e os empregadores financiem as aposentadorias, obrigando o trabalhador a fazer o seu fundo de poupança de aposentadoria, como ocorre no Chile.

Além disso, Tarso explicou a chamada desconstitucionalização da proposta. Segundo ele, como a PEC retira garantias dos trabalhadores da norma constitucional e coloca as regras em um patamar infraconstitucional, elas ficarão mais simples de serem alteradas. “É uma reforma que onera brutalmente os trabalhadores de renda média e de baixa renda. Empobrece, portanto, um enorme grupo de consumidores no Brasil. Isso terá uma consequência nefasta na economia. Apenas os credores da dívida pública é que irão lucrar”.

A atual crise na Argentina foi citada como uma amostra do que poderá acontecer com o Brasil. O Governo de Maurício Macri emplacou a aprovação de medidas impopulares e agora não consegue controlar o preço do dólar, a inflação e o aumento considerável do desemprego.

Junto com outros advogados da CSPM, o ex-governador é um dos autores do Mandado de Segurança impetrado junto ao Supremo Tribunal Federal. “Se o estado de direito formal estivesse funcionando de maneira plena, o nosso mandado de segurança seria considerado procedente. Mas nós temos que acreditar na força do Direito”. A ação está com o ministro Gilmar Mendes e não tem prazo para ser analisada.

Logo após a entrevista de Tarso Genro, os jornalistas Juremir Machado e Taline Oppitz receberam o também ex-governador Jair Soares. Historicamente em lados opostos em disputas eleitorais, Tarso e Jair convergiram sobre as ilegalidades da Reforma da Previdência. Ministro da Previdência entre 1979 e 1982, Jair Soares destacou que até 2016 a seguridade social era superavitária, mesmo com a União retirando recursos arrecadados para as aposentadorias sendo utilizados para outros fins. “Só neste ano já são mais de R$ 100 bilhões sonegados. Temos que acrescentar as desonerações e renúncias fiscais, a DRU e outros recursos que são retirados da seguridade social para registrar déficit”.

O ex-governador defendeu a manutenção do atual modelo de previdência.

Quem também participou do programa foi o senador Paulo Paim, que lembrou que entre os maiores devedores da previdência são os grandes bancos do país, que anualmente comemoram seus lucros em divulgações ao mercado financeiro.

O Esfera Pública desta segunda-feira (29) está disponível na Página da Rádio Guaíba no Facebook.

0Share

Tweet

 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br