Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Sei que as coisas podem até piorar, mas sei também que é possível intervir para melhorá-las.
Paulo Freire
01/04/2019

Ex-ministro da previdência social critica reforma apresentada pelo Governo Federal

Carlos Gabas acredita que proposta se trata de um desmonte, além de prejudicar a economia

Em visita a João Pessoa, nesta quinta-feira (28), Carlos Gabas participou de debates na Câmara Municipal (CMJP) e na Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Para Carlos, a previdência social apresenta desafios para o futuro, mas discorda dos argumentos utilizados pela atual gestão federal para justificar a reforma no modelo de seguridade. Segundo ele, “o governo tem gastado muito dinheiro para dizer por aí que a previdência está quebrada”. O ex-ministro defendeu que a Previdência é viável e não existe para ser superavitária.

“Eu afirmo a vocês: A previdência não está quebrada”, destacou. “É claro que temos desafios para ser enfrentados, seria hipócrita se dissesse que a previdência não tem problema, não é verdade, tanto que no governo do presidente de Lula e da presidenta Dilma criamos espaços para discussão sobre a previdência social, mas eu digo que se vou reformar minha casa, eu vou destruir minha casa? Não eu vou melhorar minha casa”, apontou o ex-ministro.

Segundo Gabas, existe um projeto de desmonte da Previdência Social e a atual proposta de modificar o sistema de aposentadorias ataca diretamente aos mais pobres. Ele avalia que o impacto das mudanças na economia de pequenas cidades brasileiras será negativo e defendeu que as câmaras municipais promovam debates sobre o tema com a população.

“A nossa previdência não está quebrada, ela não é inviável; ela existe para atender as necessidades do nosso povo e o que precisa é ser consolidada, ampliada, isso que o governo faz é tirar recurso da previdência e da seguridade”, defendeu. “Por isso viemos explicar como é essa estrutura e como ela pode ser fortalecida, nós somos contra essa reforma e precisamos fazer um debate para saber como fortalecer a nossa previdência , não acabar com ela”, apontou Carlos Gabas.

O vereador Marcos Henriques (PT) foi o propositor da audiência pública, que contou com o discurso de Carlos Gabas. O petista afirmou que vai lutar contra o que disse ser “o ponto conservador e perverso da reforma da previdência social, entregue pelo Governo Bolsonaro ao Congresso Nacional”. Segundo ele, a proposta desrespeita o povo brasileiro, em especial o paraibano e pessoense.

Ele entende que a reforma da previdência é a criação de um sistema de capitalização, que reduzirá os benefícios dos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil e defendeu que “o que resolve o problema da previdência é a geração de emprego. Isso foi feito no Governo Lula”.

 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br