Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

É claro que meus filhos terão computadores, mas, antes disso, terão livros.
Bill Gates
08/10/2018

Senado terá a composição mais fragmentada da história em 2019

Nº de partidos na Casa sobe a 21

MDB e PSDB são maiores bancadas

PT terá 6 senadores, PSL elegeu 4

8 senadores reeleitos

MDB e PSDB são as maiores bancadas no Senado em 2019

O Senado Federal terá a partir de 2019 sua composição mais fragmentada da história. Serão 21 partidos representados na Casa –5 legendas mais do que a composição atual. Ingressam PSL, Pros, Solidariedade, PRP e PHS.

Entre os novos partidos, o destaque vai para o PSL, de Jair Bolsonaro. A sigla terá representação pela 1ª vez no Senado e já estreia com 4 congressistas eleitos: Flávio Bolsonaro (RJ), Major Olímpio (SP), Soraya Thronicke (MS) e Selma Arruda (MT).

Receba a newsletter do Poder360

todos os dias no seu e-mail

seu e-mail

A maior bancada continuará sendo do MDB, mas com uma redução significativa. Até 2018, o partido tinha 18 cadeiras. Agora terá 11. A 2ª maior bancada será a do PSDB, que também caiu, de 12 para 8 assentos.

O PT teve seu contingente de congressistas reduzido pela metade. Passou de 12 senadores para 6.

O DEM elegeu 4 novos nomes e passa a ter 7 senadores.

Apesar do desempenho pífio de sua candidata a presidente, a Rede passou de 1 para 5 senadores.

REELEIÇÃO

Dos 33 senadores que tentaram 1 novo mandato, 8 voltam ao Senado por mais 8 anos.

Os senadores que conseguiram se reeleger são:

Eduardo Braga (MDB-AM)

Ciro Nogueira (PP-PI)

Jader Barbalho (MDB-PA)

Paulo Paim (PT-RS)

Renan Calheiros (MDB-AL)

Sergio Petecão (PSD-AC)

Humberto Costa (PT-PE)

Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

Nomes importantes, como Eunício Oliveira (MDB-CE), que ocupa a Presidência da Casa, e seu vice, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), não conseguiram se reeleger. Ficaram de fora também tradicionais nomes como Jorge Viana (PT-AC), Cristovam Buarque (PPS-DF), Magno Malta (PR-ES), Edison Lobão (MDB-MA), Roberto Requião (MDB-PR), Romero Jucá (MDB-RR) e Lindbergh Farias (PT-RJ).

 
+ Clipagem

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

Vladimir Safatle alerta para o fim do emprego - Nunca na história da República o Congresso Nacional votou uma lei tão contrária aos interesses da maioria do povo brasil

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br