Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

A metade da sabedoria humana consiste em "não amar nem odiar"; a outra metade em:" nada dizer, e nada crer".
Schopenhauer
08/08/2018

É grande a chance do presidente ser paulista com vice do Rio Grande do Sul

Leonardo Sakamoto

O que as duplas Fernando Haddad e Manuela D´Ávila, Geraldo Alckmin e Ana Amélia e Jair Bolsonaro e Antônio Mourão têm em comum? Todas são formadas por uma cabeça de chapa de São Paulo e uma vice do Rio Grande do Sul.

O PT anunciou Fernando Haddad como vice de Lula neste domingo (5). Quando a candidatura do ex-presidente for impugnada pela Justiça, o ex-prefeito deve assumir a cabeça da chapa e Manuela D'Ávila (PC do B) concorrerá como vice de fato.

Até lá, a coalizão, que também inclui o PROS e o PCO quer bombar a imagem de Lula com vídeos já gravados, tentando transferir o máximo de votos ao plano B. Caso a Justiça não permita que o ex-presidente apareça como candidato na propaganda, ele ainda pode ocupar até 25% do tempo do programa e das inserções como cabo eleitoral, de acordo com o artigo 54 da Lei das Eleições.

Das 13 candidaturas à Presidência, seis devem ser encabeçadas por paulistas. Os outros são Ciro Gomes (não, ele não é cearense, mas conterrâneo de Alckmin, de Pindamonhangaba – sua vice, Kátia Abreu, é goiana), Guilherme Boulos (Sônia Guajajara é maranhense) e Álvaro Dias (Paulo Rabello de Castro é carioca).

A coincidência na montagem das três chapas citadas no início param na repetição SP/RS, contudo.

Fernando Haddad e Manuela D'Ávila foram a costura possível da chamada unidade da esquerda que tentou ser montada pelo PT, tendo ele próprio à frente, claro. Ciro (que não toparia ser vice) e Boulos (que, mais do que uma candidatura, quer construir um projeto de esquerda) vão seguir caminhos próprios. A coalizão espera que a sombra de Lula garanta os votos do Nordeste à virtual chapa do Sudeste e Sul. Ele tem 55 anos e ela, quase 37, contrastando com os 72 de Lula. Devem chamar para si a ideia de renovação.

Geraldo Alckmin (PSDB), por sua vez, foi buscar Ana Amélia (PP), uma senadora gaúcha e respeitada pelos conservadores, para recuperar parte dos tradicionais votos tucanos, principalmente na região Sul, que revoaram para Bolsonaro. Ao não buscar um vice do Nordeste, onde sua intenção de voto é baixa, Alckmin deixa claro que seu adversário no primeiro turno é o ex-capitão do Exército. A dupla tem 65 e 73 anos, respectivamente. Ou seja, o discurso deve ser o oposto, o da experiência.

E o general Mourão (PRTB) não foi a primeira opção de Jair Bolsonaro (PSL) para a vaga de vice. Mas a opção possível depois que não conseguiu fechar com o senador Magno Malta (PR), com o general da reserva Augusto Heleno (PRP) e com a professora e advogada Janaína Paschoal. Outros cotados, o herdeiro da família imperial Luiz Philippe de Orleans e Bragança e o astronauta Marcos Pontes acabaram de fora. Bolsonaro tem 63 anos e Mourão, quase 65. A chapa não conta com experiência em cargos executivos.

O candidato militar à vice-presidência, desde cedo, se colocou à disposição para a tarefa. Mas o presidente do PRTB, Levy Fidelix, precisava retirar sua tradicional candidatura antes. E, com isso, chegamos à informação mais relevante deste texto: não teremos, nesta eleição, o Aerotrem na propaganda presidencial. Uma pena.

 
+ Clipagem

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

Vladimir Safatle alerta para o fim do emprego - Nunca na história da República o Congresso Nacional votou uma lei tão contrária aos interesses da maioria do povo brasil

FRENTE EM DEFESA DA DIGNIDADE DO TRABALHO NO FACEBOOK - Colegas.A AGITRA INTEGRA INTEGRA ESTA FRENTE EM DEFESA DA DIGNIDADE DO TRABALHO E TEM SEDIADO AS REUNIÕES PREPARA

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br