Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

A compaixão em relação aos animais é tão intimamente ligada à bondade que se pode em verdade dizer que ninguém é verdadeiramente bom se for cruel com os animais. A compaixão em relação aos animais vem da mesma fonte que a compaixão em relação às pessoas.
A. Schopenhauer
12/04/2018

Miguel Torres: Crescimento ilusório

E os números não mentem! O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou em 29 de março de 2018 uma pesquisa confirmando o aumento do desemprego no País. Temos hoje alarmantes 13,1 milhões de desempregados.

Miguel Torres*

Nada deste governo Temer levou o Brasil a melhorar os nossos índices econômicos e sociais. Pelo contrário, a estagnação persiste, a crise piora, o desemprego aumenta e o crescimento do emprego informal, sem carteira assinada, não tem fomentado o consumo nem a retomada do crescimento.

Portanto, a propaganda governista de que a economia vai bem é enganosa. Mas a sociedade brasileira está bastante madura e não tem caído não nesta ilusão. Até a mídia defensora da Reforma Trabalhista está abrindo o jogo e os olhos da população.

A Folha de S.Paulo, por exemplo, em sua edição de 26 de março de 2018, traz reportagem confirmando que sem a segurança do trabalho formal, baseado na CLT e na carteira de trabalho, e com a queda na renda mensal, as famílias vão bem menos às compras, desacelerando o consumo.

Os empresários que, por ganância capitalista e/ou falta de visão desenvolvimentista, apoiaram a terceirização sem limite e a reforma trabalhista deram um “tiro no pé”, pois o consumo é determinante em nosso País para o aumento da produção e do PIB (Produto Interno Bruto).

E os números não mentem! O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou em 29 de março de 2018 uma pesquisa confirmando o aumento do desemprego no País. Temos hoje alarmantes 13,1 milhões de desempregados.

Todas as reformas impostas pelo governo e seus aliados no Congresso Nacional não foram saudáveis para a economia: os empregos prometidos não apareceram e os postos de trabalho criados sem a proteção social da carteira de trabalho longe estão de ser considerados de qualidade ou decentes.

Ao dizer “A Luta faz a Lei”, digo que estamos resistindo aos efeitos nefastos da nova legislação trabalhista e colocando em prática -nas portas de fábrica- ações que estão garantindo a manutenção das conquistas das convenções coletivas de trabalho para os trabalhadores e mobilizando as bases em defesa do movimento sindical como instrumento fundamental na defesa de seus direitos trabalhistas, sociais e previdenciários.

“A Luta faz a Lei” não é um radicalismo vazio. É também um chamado para que o Brasil volte a ter um plano de desenvolvimento econômico, com valorização do setor produtivo, industrialização, geração de emprego de qualidade para todos, justiça social e respeito à soberania nacional, às riquezas do País, aos direitos, às diferentes posições políticas-ideológicas-partidárias e aos movimentos sociais e sindicais.

Os candidatos aos parlamentos, aos governos e à Presidência da República devem dizer claramente de que lado estão: se do lado conservador, autoritário e atrasado ou se do lado progressista, democrático e desenvolvimentista. Nós, da classe trabalhadora, saberemos distinguir quem é quem e quem merecerá o voto popular nas eleições deste ano e nas próximas.

(*) Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos) e vice-presidente da Força Sindical

Fontes de pesquisa:

Folha de S.Paulo https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/03/emprego-informal-tira-forca-da-retomada.shtml

IBGE https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/20675-pnad-continua-taxa-de-desocupacao-foi-de-12-6-no-trimestre-encerrado-em-fevereiro.html

PRINCIPAIS VOTAÇÕES

Legislatura 2015-2018

São 7 votações relevantes, que vão do impeachment da presidente Dilma, à PEC 241/16, congelamento de gastos

VEJA MAIS VOTAÇÕES

EDITORIAIS

Boletim do DIAP # 312 - Março 2018

Por um ranking social de avaliação parlamentar

Boletim do DIAP # 311 - Jan/Fev 2018

A obstrução da democracia é articulada e coordenada?

VEJA MAIS EDITORIAIS

REFORMAS DO GOVERNO TEMER

PEC 287/16: reforma da Previdência

22 Maio 2017

Informações mais relevantes sobre o assunto

PLC 38/17 (PL 6.787/16): Reforma Trabalhista-Sindical

22 Maio 2017

Informações mais relevantes sobre o assunto

Fonte: Diap
 
+ Clipagem

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

Vladimir Safatle alerta para o fim do emprego - Nunca na história da República o Congresso Nacional votou uma lei tão contrária aos interesses da maioria do povo brasil

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br