Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

A internet, nossa maior ferramenta de emancipação, está sendo transformada no mais perigoso facilitador do totalitarismo que já vimos. A internet é uma ameaça à civilização humana
Julian Assange
12/04/2018

Miguel Torres: Crescimento ilusório

E os números não mentem! O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou em 29 de março de 2018 uma pesquisa confirmando o aumento do desemprego no País. Temos hoje alarmantes 13,1 milhões de desempregados.

Miguel Torres*

Nada deste governo Temer levou o Brasil a melhorar os nossos índices econômicos e sociais. Pelo contrário, a estagnação persiste, a crise piora, o desemprego aumenta e o crescimento do emprego informal, sem carteira assinada, não tem fomentado o consumo nem a retomada do crescimento.

Portanto, a propaganda governista de que a economia vai bem é enganosa. Mas a sociedade brasileira está bastante madura e não tem caído não nesta ilusão. Até a mídia defensora da Reforma Trabalhista está abrindo o jogo e os olhos da população.

A Folha de S.Paulo, por exemplo, em sua edição de 26 de março de 2018, traz reportagem confirmando que sem a segurança do trabalho formal, baseado na CLT e na carteira de trabalho, e com a queda na renda mensal, as famílias vão bem menos às compras, desacelerando o consumo.

Os empresários que, por ganância capitalista e/ou falta de visão desenvolvimentista, apoiaram a terceirização sem limite e a reforma trabalhista deram um “tiro no pé”, pois o consumo é determinante em nosso País para o aumento da produção e do PIB (Produto Interno Bruto).

E os números não mentem! O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou em 29 de março de 2018 uma pesquisa confirmando o aumento do desemprego no País. Temos hoje alarmantes 13,1 milhões de desempregados.

Todas as reformas impostas pelo governo e seus aliados no Congresso Nacional não foram saudáveis para a economia: os empregos prometidos não apareceram e os postos de trabalho criados sem a proteção social da carteira de trabalho longe estão de ser considerados de qualidade ou decentes.

Ao dizer “A Luta faz a Lei”, digo que estamos resistindo aos efeitos nefastos da nova legislação trabalhista e colocando em prática -nas portas de fábrica- ações que estão garantindo a manutenção das conquistas das convenções coletivas de trabalho para os trabalhadores e mobilizando as bases em defesa do movimento sindical como instrumento fundamental na defesa de seus direitos trabalhistas, sociais e previdenciários.

“A Luta faz a Lei” não é um radicalismo vazio. É também um chamado para que o Brasil volte a ter um plano de desenvolvimento econômico, com valorização do setor produtivo, industrialização, geração de emprego de qualidade para todos, justiça social e respeito à soberania nacional, às riquezas do País, aos direitos, às diferentes posições políticas-ideológicas-partidárias e aos movimentos sociais e sindicais.

Os candidatos aos parlamentos, aos governos e à Presidência da República devem dizer claramente de que lado estão: se do lado conservador, autoritário e atrasado ou se do lado progressista, democrático e desenvolvimentista. Nós, da classe trabalhadora, saberemos distinguir quem é quem e quem merecerá o voto popular nas eleições deste ano e nas próximas.

(*) Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos) e vice-presidente da Força Sindical

Fontes de pesquisa:

Folha de S.Paulo https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/03/emprego-informal-tira-forca-da-retomada.shtml

IBGE https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/20675-pnad-continua-taxa-de-desocupacao-foi-de-12-6-no-trimestre-encerrado-em-fevereiro.html

PRINCIPAIS VOTAÇÕES

Legislatura 2015-2018

São 7 votações relevantes, que vão do impeachment da presidente Dilma, à PEC 241/16, congelamento de gastos

VEJA MAIS VOTAÇÕES

EDITORIAIS

Boletim do DIAP # 312 - Março 2018

Por um ranking social de avaliação parlamentar

Boletim do DIAP # 311 - Jan/Fev 2018

A obstrução da democracia é articulada e coordenada?

VEJA MAIS EDITORIAIS

REFORMAS DO GOVERNO TEMER

PEC 287/16: reforma da Previdência

22 Maio 2017

Informações mais relevantes sobre o assunto

PLC 38/17 (PL 6.787/16): Reforma Trabalhista-Sindical

22 Maio 2017

Informações mais relevantes sobre o assunto

Fonte: Diap
 
+ Clipagem

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

Vladimir Safatle alerta para o fim do emprego - Nunca na história da República o Congresso Nacional votou uma lei tão contrária aos interesses da maioria do povo brasil

FRENTE EM DEFESA DA DIGNIDADE DO TRABALHO NO FACEBOOK - Colegas.A AGITRA INTEGRA INTEGRA ESTA FRENTE EM DEFESA DA DIGNIDADE DO TRABALHO E TEM SEDIADO AS REUNIÕES PREPARA

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br