Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Devemos tratar nossos amigos como queremos que eles nos tratem.
Aristóteles
29/12/2017

Num governo impopular, Nogueira pede demissão para tentar se reeleger

Agência Brasil

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira (PTB), pediu demissão do cargo nesta quarta-feira (27), sendo o terceiro ministro a pedir para sair nos últimos dois meses. Na carta de demissão, Nogueira, que é deputado licenciado pelo PTB, justifica que quer se dedicar à campanha para reeleição. De acordo com o Planalto, o substituto será o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA).

"O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, apresentou na tarde de hoje ao presidente da República carta pedindo exoneração por motivos pessoais. O presidente Michel Temer aceitou e agradeceu pelos bons serviços prestados", diz a nota divulgada pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

O pedido de demissão aconteceu no mesmo dia em que o Ministério do Trabalho divulgou os números negativos sobre a geração de empregos, que no primeiro mês de vigência da reforma trabalhista, registrou: "ou o fechamento de 12.292 vagas em novembro, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Fernando Brito, do Tijolaço, indagou os reais motivos da saída do ministro no momento em que todos alardeiam uma recuperação da economia e do emprego.

Segundo ele, a perspectiva negativa dos números de emprego nos próximos meses é um dos motivos. "Há outra, que não deve demorar: mesmo sendo o que é, o Supremo deve derrubar partes da reforma, em uma das 12 ações diretas de inconstitucionalidade que contra ela são movidas", frisou.

Em geral, a disputa de lideranças é por se manter nos cargos do governo até o prazo final de saída estabelecido pela lei eleitora, que neste caso é 7 de abril de 2018, seis meses antes das eleições.

No entanto, num governo de impopularidade recorde como a de Michel Temer, o ministro decidiu sair para "se preparar para a campanha".

"O ministro do Trabalho é o mais sincero indicador que não há recuperação no emprego e que não há recuperação na imagem do Governo. Se houvesse, porque ele pediria as contas quatro meses antes do necessário para se candidatar?", completa Fernando Brito.

No governo desde que Temer tomou posso após o golpe contra o mandato de Dilma Rousseff, Nogueira é o terceiro ministro que pede demissão do governo em dois meses. Em dezembro, o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), após muita pressão da base aliada por considerar que os tucanos não estavam plenamente no governo. Antes dele, em novembro, o também tucano, Bruno Araújo, ministro das Cidades, pediu demissão alegando não ter mais apoio da sigla para continuar no cargo.

 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br