Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

É claro que meus filhos terão computadores, mas, antes disso, terão livros.
Bill Gates
29/11/2017

Greve nacional contra o ataque à Previdência

Greve nacional contra o ataque à Previdência

Seguindo sua tradição de luta, que se confirma cotidianamente, os trabalhadores brasileiros realizarão uma greve nacional em 5 de dezembro, em defesa de seus direitos e contra a reforma da Previdência, que piora em muito as restrições já existentes (como o fator previdenciário, por exemplo) e impede, na prática, que os trabalhadores se aposentem tamanhas são as restrições aos direitos previdenciários que Michel Temer tenta impor.

A convocação foi feita aos sindicatos e movimentos sociais nesta sexta-feira (24), por unanimidade, pelas nove centrais sindicais: CTB, CUT, NCST, Força Sindical, CSB, UGT, Intersindical; CSP-Conlutas e CGTB. Unidade na luta semelhante à que ocorreu na greve geral de 28 de abril – quando, a despeito de diferentes opiniões existentes entre as centrais em relação ao golpe de 2016, a unidade revelou a força concreta, real, da luta em defesa dos direitos dos trabalhadores.

A data escolhida para a greve (5 de dezembro) tem sentido tático – trata-se da véspera do dia previsto para a votação na Câmara dos Deputados da proposta de contrarreforma da Previdência apresentada pelo governo no dia 22. A “nova proposta” tenta disfarçar o violento ataque aos direitos dos trabalhadores, fixa idades mínimas draconianas para homens (65 anos) e mulheres (62), aumenta o prazo de contribuição para 40 anos e reduz o valor das aposentadorias e demais benefícios previdenciários.

Na nota divulgada para convocar a greve, as centrais acusam o governo ilegítimo de tentar, com a contrarreforma, desmontar a Previdência. Ao convocar a greve, as centrais fazem uma advertência aos parlamentares: “Não mexa nos direitos dos trabalhadores!”. Para Adilson Araújo, presidente da CTB, a greve será uma “resposta contundente” à tentativa antidemocrática e antipopular do governo Temer que, “sem pudor, ilude, através de uma campanha publicitária sórdida e que mente descaradamente para o nosso povo”.

 
+ Capa

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

Vladimir Safatle alerta para o fim do emprego - Nunca na história da República o Congresso Nacional votou uma lei tão contrária aos interesses da maioria do povo brasil

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br