Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Perdoe os outros por muitas coisas, mas não perdoe a si mesmo por nada.
Publilius Syrus
12/07/2017

"Reforma trabalhista é para ampliar lucro de empresários"

Ao encaminhar voto contra a reforma trabalhista, o senador Humberto Costa (PT/PE) afirmou que a sessão desta terça (11) “desnuda” as causas do golpe contra a presidenta Dilma Rousseff. “É uma tentativa de deixar o Estado cada vez menor, de jogar nas costas do povo a responsabilidade e os custos da crise. É para retirar direitos, diminuir a rede de proteção social, precarizar as relações de trabalho e, concretamente, criar condições para ampliar a taxa de lucro dos empresários”, criticou.

De acordo com ele, não há qualquer garantia de que a promessa de que o presidente Michel Temer vetará os pontos mais polêmicos da proposta será cumprida. “Disseram que Temer, que ninguém sabe até quando será presidente, irá vetar pontos. Primeiro, quem confia em Temer? Segundo, se o problema fosse de tempo, era mais rápido votar aqui as mudanças e depois mandar para a Câmara”, disse, em referência ao acordo firmado por governistas, que se comprometeram a aprovar o projeto sem alteração, sob o argumento de acelerar a tramitação.

Para Costa, a reforma trabalhista é tão impopular, que nenhum dos senadores, mesmo os da base de apoio ao presidente, quer defende-la publicamente. “É um projeto sem defensores. Causa-me espécie o PSDB não venha aqui defender, o PSD e o DEM também não. Querem se esconder porque não querem que vejam que esses partidos estão comprometidos com uma proposta que vai prejudicar a vida dos trabalhadores. O povo sabe que essa reforma não vai gerar emprego. Quem tem carteira assinada vai perder direitos para formas de contratação precárias”, alertou.

O senador rechaçou a tentativa do governo de atrelar a aprovação do projeto à volta do crescimento econômico. “O Brasil cresceu durante os governos Lula e Dilma com essa mesma legislação. É mentira que a reforma seja pré-condição para o Brasil crescer. Ao contrário, o Brasil só irá crescer se houver renda para que os mais pobres possam consumir”, afirmou.

Do Portal Vermelho

Fonte: Vermelho
 
+ Clipagem

Vladimir Safatle alerta para o fim do emprego - Nunca na história da República o Congresso Nacional votou uma lei tão contrária aos interesses da maioria do povo brasil

FRENTE EM DEFESA DA DIGNIDADE DO TRABALHO NO FACEBOOK - Colegas.A AGITRA INTEGRA INTEGRA ESTA FRENTE EM DEFESA DA DIGNIDADE DO TRABALHO E TEM SEDIADO AS REUNIÕES PREPARA

Terceirização: Anamatra lamenta aprovação de PL que libera a prática em todas as atividades e pede v - Em nota, entidade pede que presidente da República teve o PL nº 4302/1998 A Associação Nacional dos Magistrados da

Centrais e Ministério do Trabalho criam grupo para aprimorar projeto que altera legislação trabalhis - Em reunião nesta sexta-feira, 20, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, as seis centrais sindicais reconhecidas - CS

PEC 287/16: ANFIP e magistrados produzem nota conjunta contra reforma - O presidente da ANFIP, Vilson Antonio Romero, reuniu-se nesta quarta-feira (18), em Brasília, com representantes da Anam

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br