Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

... Adieu, monsieur, je vous recommande la vèrité, la liberté,et la vertu trois seules choses pour lesquelles on doive aimer la vie.
Voltaire, Questions sur les miracles, XIe Lettre
19/06/2017

Altamiro Borges: Golpe trabalhista avança no Senado

Michel Temer não sabe se dura até o final do mandato ilegítimo e nem se vai direto para a cadeia. A base aliada está afundando, com várias siglas ameaçando desembarcar do covil golpista. O PSDB decidiu manter o apoio à quadrilha do PMDB para salvar o cambaleante Aécio Neves, mas está sangrando. Mesmo assim, a cloaca empresarial, que financiou o “golpe dos corruptos”, segue impondo sua pauta regressiva no parlamento.

Na última terça-feira (13), a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado aprovou a proposta de “reforma” trabalhista do tucano Ricardo Ferraço. Desta forma, a “assembleia dos bandidos”, conforme definição de um renomado jornalista português, deu mais um passo para extinguir a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Após oito horas de sessão, o relatório do senador capixaba foi aprovado sem qualquer destaque. Paulo Paim (PT-RS), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Lídice da Mata (PSB-BA) ainda tentaram barrar a votação, mas foram atropelados pela bancada patronal. Além da CAS, a contrarreforma já foi aprovada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e ainda deve passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), antes de ir à votação no plenário do Senado. O covil golpista, que corre contra o tempo para manter o apoio da cloaca empresarial, promete enterrar a CLT até o final de junho. Para que o texto não retorne à Câmara Federal, onde já foi aprovado, o Senado precisa aprovar a matéria sem alterações.

Em seu entusiasmo, a própria Folha não esconde mais os propósitos desta maldade. “A reforma, amplamente apoiada pelas entidades empresariais, traz a prevalência, em alguns casos, de acordos entre patrões e empregados sobre a lei, o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, obstáculos ao ajuizamento das ações trabalhistas, limites às decisões do Tribunal Superior do Trabalho, possibilidade de parcelamento de férias em três períodos e flexibilização de contratos de trabalho.” Em outro artigo, o jornal reconhece que a aprovação da maldade é uma questão de sobrevivência para o covil golpista. “Em meio à crise política, o governo quer manter o calendário das reformas para dar a impressão de ‘normalidade’”,afirma.

Se depender do Congresso Nacional, o mais conservador e fisiológico dos últimos tempos, a contrarreforma trabalhista será aprovada sem choro nem vela. Os parlamentares venais inclusive contam com sua aprovação para garantir apoio financeiro dos empresários para a reeleição em 2018. Só mesmo a pressão das ruas poderá barrar este retrocesso. A segunda greve geral convocada pelas centrais sindicais para o final de junho terá papel decisivo nesta verdadeira guerra de classes. Ou os trabalhadores ocupam a cena política, com maior amplitude e radicalidade, ou voltarão aos tempos da escravidão escancarada!

*Altamiro Borges é jornalista e presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé

 
+ Clipagem

Vladimir Safatle alerta para o fim do emprego - Nunca na história da República o Congresso Nacional votou uma lei tão contrária aos interesses da maioria do povo brasil

FRENTE EM DEFESA DA DIGNIDADE DO TRABALHO NO FACEBOOK - Colegas.A AGITRA INTEGRA INTEGRA ESTA FRENTE EM DEFESA DA DIGNIDADE DO TRABALHO E TEM SEDIADO AS REUNIÕES PREPARA

Terceirização: Anamatra lamenta aprovação de PL que libera a prática em todas as atividades e pede v - Em nota, entidade pede que presidente da República teve o PL nº 4302/1998 A Associação Nacional dos Magistrados da

Centrais e Ministério do Trabalho criam grupo para aprimorar projeto que altera legislação trabalhis - Em reunião nesta sexta-feira, 20, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, as seis centrais sindicais reconhecidas - CS

PEC 287/16: ANFIP e magistrados produzem nota conjunta contra reforma - O presidente da ANFIP, Vilson Antonio Romero, reuniu-se nesta quarta-feira (18), em Brasília, com representantes da Anam

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br