Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Jamais culpe o seu próximo antes de ter estado em seu lugar.
O Talmude
10/02/2017

Trabalho escravo no mercado da moda é tema de debate no Rio de Janeiro

Pesquisadores e profissionais da moda se reúnem neste sábado (28), no Museu de Arte do Rio (MAR), na Praça Mauá, para discutir a exploração nas cadeias produtivas da indústria têxtil na data em que se lembra o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo.

Com o título de Esquenta Fashion Revolution Rio, a iniciativa tem como objetivo promover o consumo consciente e a reflexão sobre as cadeias produtivas que estão por trás do que é consumido atualmente. Na mesa de debates “Escravos da Moda”, a procuradora do Trabalho Guadalupe Couto abordou a questão do trabalho exploratório na indústria têxtil.

Saiba Mais

Brasil tem mais de 450 inquéritos sobre trabalho escravo sem solução

“O evento é para conscientizar as pessoas sobre a existência de trabalhador submetido à condição análoga de escravo na indústria têxtil. Temos na cadeia produtiva de grandes grifes a exploração de trabalhadores como escravos. São submetidos a condições degradantes, sem água, sem moradia em condições dignas, sem equipamentos de proteção, sem salários e sem os direitos trabalhistas. Muitas vezes submetidos ao cerceio da liberdade de ir e vir, são mantidos presos nas oficinas e submetidos a jornadas exaustivas”, disse a procuradora.

Segundo a procuradora, as pessoas submetidas à condição análoga à escravidão na indústria moda no Brasil são, principalmente, brasileiros, bolivianos, peruanos, além de outros cidadãos latino-americanos em grave situação de vulnerabilidade, que acabam se submetendo ao trabalho degradante.

O evento, promovido pelo Fashion Revolution Brasil, conta com as parcerias do Ministério Público do Trabalho do Rio de Janeiro (MPT-RJ), da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos e da Cáritas RJ. Além das mesas de debate, estão programados um bazar de troca com o projeto Excambo, cinedebate com exibição do documentário The True Cost, e oficinas de reciclagem.

O Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo foi escolhido em homenagem aos auditores fiscais do trabalho Eratóstenes de Almeida, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva, e ao motorista Ailton Pereira de Oliveira, assassinados quando investigavam denúncias de trabalho escravo na zona rural do município de Unaí (MG) no ano de 2004. A data foi oficializada em 2009.

Edição: Amanda Cieglinski

Fonte: Agência Brasil
 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br