Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Quanto mais corrupto for o país, mais leis ele terá
Tácito
07/12/2016

População se divide sobre medidas

A reforma da Previdência, que agora tramita no Congresso Nacional, por meio da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, divide opiniões. Os trechos mais polêmicos e criticados pela população envolvem a idade mínima para aposentadoria, as regras específicas para policiais, bombeiros, políticos e a exclusão dos militares das Forças Armadas do texto da PEC. Além do descontentamento pelas exceções, há quem tema ter os planos frustrados com as novas regras.

O gerente de uma loja em Brasília, Anderson Morais, de 28 anos, é uma dessas pessoas. Como entrou no mercado ainda adolescente, pensava em se aposentar por tempo de trabalho, mas se a PEC passar pelo Congresso como está, com a necessidade de idade mínima para a inatividade, ele vai ter de esperar. "Se eu estou ficando mais velho, eu preciso de descanso. A aposentadoria deve levar em conta o tempo de trabalho das pessoas, não só a idade. Eu trabalho desde os 19 anos de idade. Não acho justo ter que esperar até os 65 anos para dar entrada no benefício. Um dia eu não vou poder trabalhar mais. Estarei com limitações que exigem um descanso", afirma.

A assistente administrava Denise Alves, de 42 anos, concorda com a reforma, por acreditar que a previdência não se sustentaria com as regras atuais. A trabalhadora acredita que as medidas vão trazer bons resultados para a economia do país. "Eu acho essa proposta totalmente correta. As pessoas se aposentam muito jovens, hoje em dia, e, já aposentadas, continuam trabalhando. A expectativa de vida do brasileiro aumentou e a Previdência não se sustenta sem uma reforma. Isso vai fazer com que a máquina pública cause um impacto menor no Orçamento, pois os servidores públicos serão enquadrados nas mesmas regras que a iniciativa privada. Isso demorou bastante para ocorrer", afirma.

Fonte: Correio Braziliense
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br