Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Afastar-se da média é afastar-se da humanidade; a grandeza da alma humana consiste em saber manter-se ali.
Pascal, Pensés, I,9,17
16/08/2016

Em MPT e OIT estabelecem aliança estratégica para promover o trabalho decente no Brasil

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) do Brasil assinaram hoje um acordo de cooperação, que prevê a canalização de recursos provenientes de ações do MPT para a promoção e reparação do bem jurídico tutelado nas relações de trabalho e emprego, por meio de projetos destinados a promover o trabalho decente no país.

O Procurador Geral do Trabalho, Ronaldo Curado Fleury, visitou hoje o Escritório Regional da OIT para a América Latina e o Caribe, com sede em Lima, no Peru, a fim de formalizar este acordo.

"É uma aliança de caráter muito inovador, a primeira deste tipo no mundo", disse o Diretor da OIT para a América Latina e o Caribe, José Manuel Salazar-Xirinachs, ao assinar o acordo com o Procurador. "Num contexto de desafios econômicos, sociais e de mercado de trabalho, este acordo e a aliança que ele consolida tornam-se ainda mais importantes", acrescentou.

De sua parte, Fleury descreveu o acordo como uma “aliança estratégica” com a OIT, que busca “transformar multas e indenizações em trabalho decente”.

O Procurador explicou que em casos de infrações como as que resultam, por exemplo, de situações de trabalho infantil ou trabalho forçado, é possível exigir que as empresas envolvidas paguem uma reparação, mas há “dificuldades em transferir essas multas e indenizações por danos morais para as comunidades afetadas”.

“Para fechar este acordo de cooperação, foram consultados 782 procuradores de todo o Brasil, que contribuíram com várias ideias”, acrescentou Fleury. O próximo passo é “a elaboração dos projetos pelos procuradores e técnicos da OIT”.

O acordo estabelece um marco de cooperação entre o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a OIT para "o desenvolvimento de ações conjuntas destinadas à promoção do trabalho decente" no Brasil.

O texto do acordo, que é válido por cinco anos, determina que o MPT "poderá destinar à OIT recursos provenientes de multas ou indenizações" referentes a infrações trabalhistas, que serão utilizados exclusivamente para tais projetos.

As duas partes irão trabalhar em conjunto na identificação de ações prioritárias, grupos sociais e regiões beneficiárias e fórmulas de implementação dos projetos, assim como na prestação de contas do uso de recursos que, preferencialmente, "serão destinados a reparar os danos causados pelas infrações nas comunidades".

Salazar destacou que o Ministério Público do Trabalho é uma instituição fundamental do direito do trabalho no Brasil e que sua atuação, em conjunto com a Justiça do Trabalho, o Ministério do Trabalho e outros parceiros, tem contribuído para que o Brasil obtenha muitas conquistas ao longo dos anos.

Entre elas, o Diretor Regional da OIT citou a redução do trabalho infantil, o resgate de vítimas de trabalho forçado, a promoção dos direitos trabalhistas e da saúde e segurança no local de trabalho, os esforços para garantir a liberdade sindical e a negociação coletiva, assim como os esforços para promover a implementação das convenções da OIT no Brasil.

"A OIT e o Ministério Público já trabalham em conjunto há muitos anos no Brasil, principalmente no combate ao trabalho forçado e ao trabalho infantil, e este novo acordo nos permitirá entrar numa nova fase de cooperação mais próxima e em maior escala", acrescentou.

Também estavam presentes durante a assinatura do acordo o Embaixador do Brasil no Peru, Marcos Raposo Lopes, o Procurador e Assessor Internacional do MPT, Thiago Gurjão, e a Coordenadora Geral de Cooperação Trilateral com Organismos Internacionais da Agência Brasileira de Cooperação, Cecília Malaguti.

A formalização do acordo foi realizada durante uma Oficina de Especialistas da Iniciativa Regional América Latina e Caribe livre de Trabalho Infantil, que acontece esta semana em Lima e também conta com a presença do Procurador Fleury.

Fonte: Câmara / Agência Estado
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br