Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Cuidado com aqueles que querem convencê-lo de que é impossível lutar pelo bem, só porque é impossível alcançar a perfeição.
John Ruskin
11/08/2016

Comissão aprova MP da Reforma Administrativa

Comissão aprova MP da Reforma Administrativa

Relator Leonardo Quintão incorporou a sigla “CGU” ao nome do novo Ministério da Transparência. Medida provisória segue para análise do Plenário da Câmara

Alex Ferreira / Câmara dos Deputados

Apreciação do relatório final da Comissão Mista sobre a MP 726/16, que dispõe sobre a organização da Presidência da República e dos Ministérios

Comissão mista aprovou a MP 726/16, primeira medida provisória editada pelo presidente interino Michel Temer

A comissão mista que analisa a Medida Provisória (MP) 726/16 aprovou nesta quarta-feira (10) o relatório do deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG) favorável ao texto.

A MP da Reforma Administrativa, a primeira editada pelo presidente da República interino, Michel Temer, extinguiu nove ministérios e órgãos: os ministérios da Cultura; das Comunicações; do Desenvolvimento Agrário; e das Mulheres, Igualdade Racial, Juventude e Direitos Humanos; as secretarias de Portos; de Aviação Civil; e de Comunicação Social; e a Casa Militar e a Controladoria-Geral da União (CGU).

As atribuições dos ministérios extintos foram redistribuídas a outros órgãos já existentes e a duas novas pastas (Transparência, Fiscalização e Controle; e Gabinete de Segurança Institucional da Presidência). Como consequência dessas alterações, a MP também promoveu criação e transformação de cargos.

O relator destacou que a medida é necessária à readequação da máquina pública e têm impacto significativo no corte de gastos. “Não é tudo, mas é o início de um governo que pretende servir à população, e não um governo para servir a interesses de empregados, partidos e políticos”, disse Quintão.

Ele manteve quase a integralidade da versão original, confirmando a recriação do Ministério da Cultura, com ajustes pontuais, como a transferência da Secretaria de Política para as Mulheres (SPM) – atualmente no Ministério da Justiça – para a Secretaria de Governo.

Entre as emendas acolhidas, uma garante a devolução do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) à estrutura da Casa Civil da Presidência.

CGU

Outra alteração, proposta pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), incorpora ao nome do novo ministério da Transparência a sigla “CGU”. A ideia foi fazer uma contrapartida à reivindicação dos servidores do órgão, presentes na reunião, que atribuíram à MP o esvaziamento das políticas de combate à corrupção.

O deputado Carlos Zarattini (PT-SP) também criticou a MP, que considera um retrocesso. “A CGU tem papel fundamental para que se evite que ocorram processos de corrupção, não é para corrigir depois que ocorreu a corrupção, é para prevenir. Então, em troca de economia de pouco recurso, nós estamos perdendo muito em políticas públicas”, afirmou

Fonte: Camara
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br