Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

A compaixão em relação aos animais é tão intimamente ligada à bondade que se pode em verdade dizer que ninguém é verdadeiramente bom se for cruel com os animais. A compaixão em relação aos animais vem da mesma fonte que a compaixão em relação às pessoas.
A. Schopenhauer
02/05/2016

Taxa de desempregados fecha em 11,1 milhões, a maior desde 2012

A população que está à procura de emprego no país atingiu a marca de 11,1 milhões (10,9%) de pessoas no trimestre encerrado em março. No confronto com igual período do ano passado, houve aumento de 3,2 milhões desocupados ou 39,8% a mais. É como se quase toda a população do Uruguai (3,4 milhões) fosse demitida no espaço de um ano. A taxa é a maior desde o início da série da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua), em 2012. Só nos três primeiros meses do ano, o desemprego bateu à porta de mais 2 milhões de pessoas, alta de 22,2% em relação período imediatamente anterior, de outubro a dezembro de 2015. As informações foram divulgadas ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

"Os dados mostram um retrocesso de três anos no mercado de trabalho. Os problemas no cenário econômico afetam diretamente o profissional com carteira assinada e o empurra para a informalidade", explicou Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE. Ele cita a indústria para ilustrar o estrago. "Esse setor perdeu 645 mil vagas no trimestre. Em janeiro, fevereiro e março de 2015 detinha 14,4% das vagas formais. Hoje representa 12,9%", relatou.

Segundo o técnico, foi recorde. "Quando temos uma queda tão abrupta, isso denota uma deterioração muito expressiva da perda de qualidade dos postos remanescentes e queda da formalidade. Esta foi compensada em parte pelo trabalhador por conta própria, que registrou taxa de 25,6%, alta de 6,5% em relação ao ano passado."

É o caso da ex-operadora de caixa Crislane Oliveira dos Santos, de 24 anos, que tem dois bebês em casa para sustentar - um menino de 2 anos e uma menina de 1. Há seis meses desempregada e separada do pai das crianças, aceitou vender bolos em frente ao Ministério do Trabalho. "Já mandei milhares de currículos, mas não consegui me recolocar ainda", conta. "Vendendo bolo ganho R$ 40 líquidos por dia. Antes o meu salário era de R$ 900 mais R$ 300 de vale-refeição. O dinheiro em casa diminuiu muito", resigna-se.

Rendimento

A triste experiência de Crislane faz parte da estatística do IBGE. O rendimento médio foi de R$ 1.966, queda de 3,2% em relação ao mesmo trimestre de 2015, quando chegava a R$ 2.031. Já a massa de rendimento circulando no mercado teve um tombo de R$ 7,3 bilhões. "Em 2015 a massa era de R$ 180,8 bilhões. Este ano está em R$ 173,4 bilhões. Isso afeta o consumo que vai repercutir no comércio, na indústria e a tendência é aumentar mais o desemprego, alimentando esse círculo vicioso", pontua Azeredo.

O número do IBGE veio pior que a projeção da Tendências Consultoria que era de 10,6%", revelou Rafael Bacciotti, analista de Mercado de Trabalho da entidade. Ele prevê que o processo de deterioração tende a evoluir ao longo de 2016, dado que a atividade econômica ainda não mostra sinais de recuperação. "O movimento de queda não se reverte este ano. A resposta do mercado de trabalho tende a ser mais lenta", avaliou.

O economista Rodrigo Myamoto, do Itau Unibanco, registra que é a 17ª queda seguida do emprego na Pnad Contínua. "A fraqueza da atividade econômica deve contribuir para a continuidade da deterioração no mercado de trabalho. Este quadro reforça o encolhimento no consumo das famílias em 2016", sintetizou.

Fonte: Correio Braziliense
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br