Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O sabio que tudo sabe é aquele que sabe que nada sabe.
Platão
29/03/2016

Henrique Meirelles é mais cotado para Fazenda em eventual governo Temer

Sobe a estrela de Henrique Meirelles como possível ministro da Fazenda de um eventual governo de Michel Temer (PMDB-SP), que assumirá a Presidência em caso de impeachment de Dilma Rousseff. No sentido contrário, caem as apostas no nome de Armínio Fraga para o cargo.

PERSONALIDADE

A imagem de Armínio Fraga seria colada demais à do senador e ex-presidenciável tucano Aécio Neves, o que desagradaria a Michel Temer, segundo interlocutores diretos do vice.

SINAL TROCADO

Ex-presidente do Banco Central do governo de Fernando Henrique Cardoso, Fraga traria à memória também um período de recessão e desemprego no país. Já Henrique Meirelles ocupou o mesmo cargo no período de acelerado crescimento do governo Lula.

SINAL TROCADO 2

Temer já prevê que um eventual governo liderado por ele dificilmente reverterá, em poucos meses, o quadro recessivo da economia brasileira. Enfrentará protestos e será mal avaliado em pesquisas. A imagem de Meirelles, nesse contexto, ajudaria a sinalizar que o "futuro" pode ser um pouco melhor.

LINHA FINA

Começa a ser alinhavado um acordo para livrar Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da cassação, caso Temer assuma o governo. Ele renunciaria à presidência da Câmara dos Deputados sob o argumento de que o novo governo precisaria articular nova maioria no parlamento. Seria suspenso pelo conselho de ética, mas manteria o cargo, garantindo o foro privilegiado.

EM TEMPO

O acerto só será possível, no entanto, caso o STF (Supremo Tribunal Federal) não atenda ao pedido da Procuradoria Geral da República, que defende que Cunha seja afastado do cargo.

EM NOME DE TODOS

Advogados e juristas de São Paulo devem apresentar ação na Justiça questionando a iniciativa do presidente da OAB, Claudio Lamachia, de apresentar proposta para que a entidade defendesse o impeachment de Dilma, o que acabou aprovado pelo conselho da ordem. Vão defender, como já ocorre em ações de outros Estados, que ele deveria ter feito plebiscito com a categoria em assunto de tal gravidade.

LONGA LISTA

"A OAB diz que defende o impeachment porque Dilma está na delação de Delcídio do Amaral. Por coerência, deveria pedir também o impedimento de Temer e o afastamento do senador Aécio Neves do cargo, já que eles também foram citados pelo senador", diz Marco Aurélio de Carvalho, coordenador do setorial jurídico do PT e integrante do Sindicato dos Advogados de São Paulo

Fonte: FSP
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br