Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Minha religião é o amor a todos os seres vivos
Leon Tolstoi
10/03/2016

Pressão sobre Dilma

Fragilizada politicamente e pressionada pelo PT, a presidente Dilma Rousseff pode adiar a reforma da Previdência Social e já desistiu da reforma trabalhista. Ambas foram defendidas pelo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, no início do ano como ações importantes para o reequilíbrio das contas públicas e a retomada do crescimento da economia

No entanto, segundo técnicos do governo, as turbulências políticas ganharam tal dimensão que a melhor saída seria a presidente não bater de frente com seu partido, que rejeita tanto mudanças nas regras para aposentadoria quanto nas relações de trabalho.

Segundo interlocutores da Fazenda, Barbosa ainda defende o cronograma estabelecido pelo governo de enviar a reforma da Previdência ao Congresso até o fim de abril. No entanto, cresce na área econômica e no próprio Palácio do Planalto a avaliação de que o melhor seria esperar um pouco mais.

- A agenda econômica não se consolida por uma mera vontade do governo. O prazo de abril pode não ser cumprido - afirmou um integrante do Palácio do Planalto.

Segundo ele, a ordem no momento é seguir com as negociações da reforma no Fórum da Previdência - composto por governo, centrais sindicais e empresários - ao longo de março e, enquanto isso, acompanhar a situação política e o andamento do processo de impeachment da presidente no Congresso. Depois disso, será batido o martelo sobre adiamento da proposta.

- Tem um período de decantação política. É óbvio que um ambiente como o atual deixa qualquer análise turva. O tempo de debate no fórum ajuda a digerir as coisas melhor - afirmou o interlocutor.

Para a área econômica, a maior preocupação é manter o compromisso com a reforma. Para os técnicos, mesmo que ela não seja encaminhada na data prevista inicialmente, é preciso deixar claro que o governo não desistirá de mudar as regras, que incluem a fixação de uma idade mínima para aposentadoria.

- Tem que manter o compromisso com a reforma. Isso tem que ficar claro. A Previdência precisa mudar para ser sustentável - explicou um técnico da equipe.

Nesta quarta-feira, Barbosa defendeu a agenda econômica do governo durante cerimônia de comemoração dos 30 anos do Tesouro Nacional. Ele fez um paralelo entre o momento atual e meados dos anos 80, quando o Tesouro foi criado, e disse que a experiência da época mostra que é possível fazer reformas institucionais em momentos de turbulência.

- O Tesouro foi criado num período de bastante turbulência, de planos de estabilização. Todos os avanços que foram feitos nos anos 80 mostram o quanto é possível você fazer reformas institucionais importantes mesmo num período de turbulência econômica, que é um pouco o que nós estamos vivendo agora - afirmou Barbosa, acrescentando: - E tenho certeza que todos vão responder.

Já a reforma trabalhista não está mais no radar. Se no início de 2016 já havia a avaliação de que seria difícil conduzir duas reformas em áreas sensíveis, como Previdência e trabalho, agora isso é impossível. Em janeiro, Barbosa defendeu um debate sobre a possibilidade de acordos coletivos poderem flexibilizar regras previstas na legislação trabalhista brasileira, que é muito antiga. Mas não há condições de conduzir essas duas agendas - disse o interlocutor do Planalto.

Fonte: AE
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br