Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

No reinado da lei, o pobre e o rico tem direitos iguais... e o pequeno vence o grande se tem por si a justiça; é uma idéia remota, pois vem de Euripides. Historicamente, porém, é uma idéia falsa: o direito nunca foi outra coisa senão uma organização das desigualdades.
Jean Cruet
16/11/2015

Para ministra, aumento do trabalho infantil em 2014 se deve a uma "flutuação"

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, atribuiu o aumento do trabalho infantil em 2014, mostrado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), a uma flutuação da mostra.

Brasília - A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, comenta os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, divulgada pelo IBGE Valter Campanato/Agência Brasil

“A gente tem que olhar a tendência. Eu acho que 2013 é que é um ponto fora da curva e teve grande queda [do trabalho infantil]. As piores formas de trabalho infantil vêm sendo reduzidas. Você vai chegando num patamar mais resistente e mais sujeito a esse tipo de flutuação. Acho que é flutuação da mostra. Eu não encontro nenhuma explicação que justifique ter aumentado o número de crianças trabalhando”, disse a ministra, ao comentar os dados da Pnad divulgados hoje (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A Pnad mostrou que a exploração da mão de obra infantil no país cresceu 4,5% no ano passado em relação a 2013. Segundo a pesquisa, em 2013, havia 3,188 milhões de crianças e adolescentes na faixa de 5 a 17 anos trabalhando, e o contingente subiu para 3,331 milhões em 2014. Os meninos representam dois terços desse total.

Na faixa dos 5 a 13 anos, em que não pode, por lei, haver trabalho, foi registrada a maior expansão: 15,5% para a faixa etária dos 5 aos 9 anos e 8,5%, dos 10 aos 13 anos. O aumento do trabalho entre adolescentes de 14 e 15 anos aumentou 5,6%.

Segundo a ministra, o trabalho infantil se concentra hoje na agricultura familiar e no trabalho doméstico. “Muitas vezes, a gente tem o trabalho infantil na agricultura familiar que é domiciliar, do filho trabalhando com o pai, como também é o caso dos jovens trabalhando com o pai microempresário no meio urbano. Tem toda uma questão cultural que é o grande desafio do Brasil agora. Enfrentar o trabalho infantil é enfrentar essas formas aceitáveis por parte da nossa cultura”.

Fonte: Agencia Brasil
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br