Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Olhando de longe, tudo é belo.
Tácito
25/09/2015

Servidor e aposentado se afudam em dívidas

Apesar de os juros cobrados pelos bancos nas operações com pessoas físicas terem registrado altas sucessivas, o estoque de recursos disponíveis não parou de crescer. No empréstimo consignado (parcelas deduzidas da folha de pagamento), de agosto de 2014 a agosto de 2015, o montante subiu de R$ 243,1 bilhões para R$ 270,3 bilhões, alta de 11,2% em 12 meses. A quantia, no entanto, não foi distribuída igualmente. Do bolo, R$ 165,5 bilhões foram somente para servidores públicos. Para os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), R$ 85,3 bilhões. E, para os trabalhadores da iniciativa privada, sobraram apenas R$ 19,4 bilhões.

O crescimento percentual dos aportes, nos três setores, foi de 9,9%, 16,2% e 1,6%, respectivamente. Resultado, segundo analistas, que se deve principalmente aos incentivos do governo - elevou prazos e percentuais do comprometimento da renda - e aos juros mais convidativos da modalidade. Os índices, no entanto, castigam mais uns que outros. Pesam mais no bolso do trabalhador da iniciativa privada.

De acordo com dados do Banco Central, enquanto os servidores públicos arcam com taxa média de juros de 26,3% anuais, e os aposentados, com 28,2%, o restante da população, quando consegue empréstimo, tem que pagar 40,7%. A explicação para a diferença é o risco. Funcionários públicos têm estabilidade e aposentados, salário vitalício. Já os que estão no mercado de trabalho vivem sob a ameaça constante do desemprego.

Cesar Bergo, sócio-consultor da Corretora OpenInvest, lembrou que, normalmente, a taxa do crédito pessoal e do CDC são o dobro. "E, como o governo recentemente aumentou o limite de 30% para 35% do salário e o INSS subiu o número de prestações de 60 para 72 meses, muitas vezes, o aposentado ou o servidor, para socorrer o filho pendurado no cheque especial e no cartão de crédito, recorre ao consignado sem pensar nas consequências".

Diante da crise econômica e política que o país vive, porém, a farra do consignado tende a desaparecer. "As pessoas estão cada vez mais endividadas. Não é à toa que o consumo das famílias vem caindo", afirmou Bergo. Miguel Ribeiro Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), disse que os consignados crescem entre servidores e aposentados pelas facilidades em pesquisar taxas.

Concorrência

"Não há vínculo com o banco. Eles têm mais de 30 instituições financeiras disputando seus ganhos mensais. O trabalhador da iniciativa privada está amarrado a um contrato entre empresa para a qual presta serviço e o banco escolhido por ela. Não desfruta dos benefícios da concorrência", afirmou Oliveira. Além disso, todo o sistema está de olho na taxa de desemprego, que subiu para 7,6% em agosto, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "É a maior taxa para o mês desde 2009, quando foi de 8,1%. O risco está aumentando", lembrou.

Nicolas Tingas, economista-chefe da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi), lembrou que, desde o início de 2014, a demanda por consignado começou a murchar na iniciativa privada, por vários motivos. "As pessoas sabem que dinheiro é uma mercadoria que tem preço. E custa caro. Optaram por não se endividar. Os bancos, por outro lado, se desinteressaram, porque a carteira deixou de crescer, enquanto o custo administrativo se expandiu. Creio que agora, diante da recessão, o mesmo pode acontecer nas transações com outras categorias", sinalizou.

Endividamento em alta (em R$ bilhões)

Restrição de crédito não atinge linha com garantia como a de consignado para funcionários públicos e para beneficiários do INSS

Período Servidor Aposentados Trabalhador privado

Dez/2013 137,2 66,7 17,9

Dez/2014 155,8 77,2 19,2

Jan/2015 156,7 78,2 19,2

Fev/2015 157,5 79,8 19,4

Mar/2015 159,2 81,2 19,4

Abr/2015 160,5 82,1 19,4

Mai/2015 161,6 83,0 19,4

Jun/2015 163,3 83,8 19,4

Jul/2015 164,4 84,6 19,4

Ago/2015 165,6 85,3 19,4

Fonte: Banco Central

BB empresta para 13º salário

O Banco do Brasil já liberou R$ 637 milhões às micro e pequenas empresas na linha de crédito que permite o financiamento de até 100% do 13º dos empregados. Normalmente, esse tipo de crédito - que dá oportunidade às companhias de cumprir as obrigações trabalhistas com os encargos sociais sem comprometer o fluxo de caixa - é oferecido pelos bancos em setembro. O BB optou por antecipar para julho para impulsionar o produto. Podem pegar o empréstimo empresas de qualquer porte.

Fonte: Correio Braziliense
 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br