Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O amor é infalivel; não tem erros, pois todos os erros são falta de amor.
William Law
08/09/2015

Apesar de cortes do governo, gastos com seguro-desemprego crescem

As despesas com benefícios trabalhistas e previdenciários continuam a pressionar as contas públicas neste ano, apesar das medidas adotadas pelo governo para segurar esses gastos.

O repasse do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) para pagamento de seguro-desemprego, por exemplo, cresceu 31% até junho em relação ao mesmo período de 2014. Em abril, quando enviou ao Congresso o projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2016, o governo estimou redução de cerca de 15% no pagamento do benefício em 2015.

Nesse caso, tem pesado mais a piora no mercado de trabalho, que eleva o número de pessoas que procuram o benefício. Até agosto, já foram fechados 500 mil postos com carteira assinada.

No seguro para pescadores artesanais, estimava-se para este ano redução de 20% no número de beneficiados, mas os repasses cresceram 19%.

Aumento nas despesas até junho, em % - Em relação ao mesmo período de 2014

Em relação aos benefícios previdenciários, o ritmo de crescimento é menor, mas continua no mesmo patamar verificado no início do ano. Os gastos com pensão por morte e auxílio-doença cresceram cerca de 10% neste ano. Os dois benefícios que também tiveram suas regras alteradas pelo governo respondem, juntos, por 30% dos gastos da Previdência Social.

As despesas obrigatórias, que incluem esses pagamentos, são apontadas pelo governo como a maior dificuldade para reduzir o gasto público. Elas representam mais de 90% do Orçamento.

MUDANÇA

A maioria das novas regras entrou em vigor em março deste ano. O governo estimava economizar R$ 18 bilhões anuais a partir de 2015 com essas medidas, mas sempre evitou detalhar como essa economia seria alcançada.

Posteriormente, o Congresso amenizou algumas dessas restrições, o que reduziu o potencial de economia.

No seguro-desemprego, acabou sendo elevado de 6 para 12 meses o tempo necessário de trabalho para ter acesso ao benefício pela primeira vez, por exemplo. Na pensão por morte, foram estabelecidos tempo mínimo de contribuição e de casamento, além de acabar com o benefício vitalício para todos.

Novas mudanças nesses e em outros benefícios começaram a ser discutidas na semana passada pelo Fórum sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e de Previdência Social, que inclui representantes de trabalhadores, aposentados e empresários.

Entre abril e agosto deste ano, o governo revisou a projeção de deficit da Previdência de 2015 de R$ 67 bilhões para R$ 89 bilhões. Em 2016, deve chegar a R$ 125 bilhões. Em percentual do PIB, será alcançada no próximo ano a marca de 2%, o dobro do verificado em 2014.

Em relação às despesas do FAT, o Tesouro tem sido obrigado a desembolsar anualmente cerca de R$ 10 bilhões para cobrir as obrigações do fundo do trabalhador. O valor representa um terço do deficit no Orçamento previsto para o próximo ano.

PRINCIPAIS MUDANÇAS

1- Pensão por morte - Mínimo de 18 meses de contribuição e 24 de casamento. Tempo de pagamento proporcional à idade

2- Auxílio-doença - Valor calculado pelos últimos 12 salários, e não pela média dos maiores rendimentos

3- Seguro-desemprego - É necessário ter um ano, e não apenas seis meses trabalhados na primeira solicitação

4- Seguro pescador artesanal - Deve exercer a atividade de forma exclusiva e não acumular outros benefícios

MEDIDAS DO AJUSTE FISCAL

- Restrições à concessão de benefícios como auxílio-doença, pensão por morte, seguro desemprego e seguro pescador artesanal

- Redução da desoneração da folha de pagamento para setores beneficiados no primeiro mandato de Dilma

- Aumento na tributação de eletrônicos e de bebidas como vinho e uísque

--------------------------------------------------------------------------------

Fonte: Folha de S. Paulo Online
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br