Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Quando morremos, nossas almas se tornam livres.
Heráclito
25/08/2015

Com aumento do desemprego, saques do FGTS crescem 16% no 1º semestre

O aumento do desemprego fez os saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aumentarem 16,2% no primeiro semestre, na comparação com o mesmo período de 2014. Foram retirados R$ 48 bilhões nos seis primeiros meses de 2015, contra R$ 41 bilhões no ano passado. A demissão sem justa causa é o principal motivo para esse avanço, somando R$ 31 bilhões, ou 65% do total.

No entanto, toda crise tem oportunidades. Quem sacou o Fundo e tem condições de guardar o dinheiro poderá investir em produtos com rentabilidade bem mais atrativa. Isso porque o FGTS rende hoje 3% ao ano mais a Taxa Referencial (TR), contra 9,56% da inflação acumulada em 12 meses. Em capitais como Rio de Janeiro, Curitiba, Goiânia e Porto Alegre, a inflação já supera 10%. Desde 2003 o dinheiro acumulado ao longo da carreira profissional não era tão corroído pela alta generalizada de preços.

Considerando que o trabalhador pode usar seu FGTS apenas em poucas situações - como demissão, aposentadoria e na compra da casa própria -, a recomendação é aproveitar qualquer chance de resgate. Em caso de demissão sem justa causa, a empresa dá uma chave de identificação ao trabalhador. O documento é necessário para a solicitação do saque do FGTS em até 90 dias.

Mudança Enviado para o Senado, o projeto de lei que altera a regra de correção do FGTS (aprovado na Câmara dos Deputados na semana passada) propõe igualar o rendimento do fundo ao da poupança, que rende 6,17% ao ano mais a TR. A mudança no porcentual ocorreria de maneira escalonada, entre 2016 e 2019, e só deve valer para novos depósitos.

"Será uma melhoria substancial para o trabalhador", diz o professor de finanças Alexandre Cabral. Ele fez cálculos que indicam que o saldo de um trabalhador no FGTS poderá render 5,3% a mais no período entre 2016 e 2019 pela regra proposta no projeto de lei, em comparação com a atual. Para alguém com salário de R$ 3 mil, por exemplo, a diferença final no saldo seria de R$ 742.

Segundo o texto aprovado na Câmara, os recursos para pagar a correção maior sairão do lucro do FGTS, que em 2014 foi de R$ 12,9 bilhões. Se o valor do superávit do fundo não for suficiente, será preciso retirar parte do patrimônio acumulado nos últimos anos.

Opções Apesar da perspectiva de melhoria do rendimento do FGTS, a equiparação à poupança não é suficiente para cobrir a inflação atual. "Quando falamos de investimento, sempre temos de pensar em ganho real. Render menos que a inflação significa perder poder de compra ao longo do tempo", lembra o consultor financeiro Conrado Navarro.

E para quem não tem plano imediato para o dinheiro sacado, qual é uma boa opção para aplicar o FGTS? Os especialistas indicam o Tesouro Direto, em especial o Tesouro Selic (antiga LFT). Este título, ao contrário dos outros, não sofre com a volatilidade dos juros, pois rende a taxa Selic diária. Assim, se o investidor quiser se desfazer do título antes do vencimento não corre o risco de perder dinheiro. O Tesouro Selic 2021 rendeu 0,85% bruto em julho.

Neste ano, os títulos do Tesouro passaram a ter liquidez diária, ou seja, quem precisa resgatar o dinheiro faz a solicitação num dia e no dia seguinte o valor está depositado na conta. Essa facilidade atraiu muita gente. Em julho, 15 mil novos investidores aplicaram no Tesouro Direto - um recorde. "A liquidez diária permite usar o dinheiro em caso de necessidade imediata", diz Navarro.

Mesmo com o Imposto de Renda (a alíquota é de 22,5% para resgates antes de 180 dias), o consultor afirma que o Tesouro Selic rende, líquido, de 40% a 50% acima da poupança.

Fonte: AE
 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br