Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Aquele que já não é teu amigo, nunca o foi realmente.
Aristóteles
25/08/2015

Congresso Nacional: Trabalho infantil entra na pauta

Aprovada a PEC 171 e agora segue pro senado. Por 320 votos a favor, 152 contrários e 1 abstenção foi aprovada, em segundo turno, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC171/93), que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos, para crimes hediondos.

?É triste ver esse resultado, mas já era esperado?, afirmou o Secretário Nacional da Juventude da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Alfredo Santos Jr., ao se referir sobre a manobra na aprovação da primeira votação na Câmara dos Deputados, no mês passado.

A PEC tem apoio da grande maioria da população, que acha que diminuirá a violência. Para Alfredo a mídia criou uma sensação falsa de insegurança e criminalidade juvenil.

Foi com esta justificativa que, o presidente da casa, Eduardo Cunha, ?desengavetou? a proposta.

Mas levantamento do Ministério da Justiça em 2011, mostra que apenas 1,9% dos crimes hediondos são cometidos por jovens e adolescentes, entre 16 e 18 anos.

?Na verdade construiu-se através da imprensa e de uma pauta conservadora, uma ideia falsa de insegurança e criminalidade juvenil?, afirma o secretário.

Para Alfredo, esta pauta tem interesses não só de segurança pública, mas também pode ir pro campo trabalhista. "Eles querem legalizar o trabalho infantil, que é a redução da idade laboral, de 16 para 14 anos", afirma o dirigente.

Duas PECs, que reduz a idade mínima para o trabalho, que vão contra o princípio de proteção integral à criança e ao jovem, explicitados na Constituição, no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e no Estatuto da Juventude, estão tramitando no Congresso.

?A ideia deste Congresso é reduzir direitos e possibilitar mão de obra barata?, disse Alfredo.

Para o professor e coordenador dos cursinhos populares da UNEAFRO, Douglas Belchior, a juventude tem duas missões agora.

?Temos que continuar fazendo os debates na sociedade para barrar a PEC no senado e ficar de olho na Projeto de Lei do Senado (PLS 333/15), que altera o ECA, aumentando o período de internação de jovens infratores de 8 para 10 anos?, observa Douglas.

Segundo o professor, há uma acordo já pré-estabelecido entre as casas que a PEC será engavetada no senado em troca da aprovação do PLS na câmara.

?A nossa postura agora é continuar tentando impedir uma coisa ou outra. Não podemos permitir esse retrocesso?, destaca Douglas.

 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br