Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Olhando de longe, tudo é belo.
Tácito
16/06/2015

Trabalhadores são resgatados no Pará

Eles viviam em condições análogas às de escravidão, na Fazenda Recanto Feliz, no município de Brasil Novo

Brasília, 15/06/2015 - O Grupo Especial de Fiscalização Móvel ? formado por auditores fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego, representantes do Ministério Público do Trabalho e policiais rodoviários federais ? libertou sete trabalhadores que viviam em condições análogas às de escravidão na Fazenda Recanto Feliz, em Brasil Novo, Pará. A operação teve início no domingo (7). Na região, conhecida pela criação de bovinos para corte, os empregados foram encontrados roçando o pasto sem os equipamentos necessários para a proteção na execução das atividades, consumindo as refeições expostos às intempéries do clima e bebendo água das grotas e minas do pasto.

Condições degradantes ? Indagados pela fiscalização, os trabalhadores informaram que não tinham acesso regular a água purificada ou filtrada e realizavam as refeições ao sol ou à chuva. ?A equipe de fiscalização, efetivamente, não encontrou nenhuma proteção, por mais rústica que fosse, onde os trabalhadores pudessem descansar, proteger-se das intempéries, ou realizar refeições?, conta José Weyne, auditor fiscal e coordenador da operação. As necessidades fisiológicas eram satisfeitas num matagal próximo à frente de trabalho.

Parte dos trabalhadores foi encontrada alojada em galpão junto a um trator e implementos agrícolas, sem paredes e com piso de chão batido, sem proteção contra o frio e a chuva. Foi também descoberto que outro trabalhador dormia na cozinha e um último, na varanda da casa; sendo o descanso realizado em redes compradas pelos próprios trabalhadores.

A água utilizada para beber, cozinhar e lavar-se, na sede da fazenda, vinha de um pequeno açude, com o líquido apresentando turbidez, coloração amarronzada e presença de coliformes fecais do gado do local.

Para conclusão da fiscalização, explicou Weyne, foi determinado ? pela equipe do grupo móvel ? a imediata paralisação das atividades laborais, a retirada dos trabalhadores dos locais onde estavam alojados, com o encaminhamento para suas residências ou hotéis na cidade. Ele informou ainda que, no curso da fiscalização, foi realizado o registro dos contratos de trabalho, com a formalização do vínculo empregatício dos obreiros, bem como a rescisão indireta dos contratos de trabalho com emissão do termo de rescisão, a baixa das Carteiras de Trabalho e Previdência Social, a realização de exame médico demissional, o recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e da contribuição previdenciária do INSS, além de realizar pagamento das verbas rescisórias aos sete trabalhadores resgatados.

Fonte: MTE
 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br