Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Jamais culpe o seu próximo antes de ter estado em seu lugar.
O Talmude
22/05/2015

Desemprego em abril é de 6,4%, o maior em quatro anos, diz

O desemprego registrado em abril foi de 6,4%, a maior taxa em quatro anos. Em maio de 2011, o desemprego atingiu o mesmo valor e, em março daquele ano, foi de 6,5%.

Em relação a março de 2015, quando era de 6,2%, o desemprego foi considerado estável pelo IBGE. Na comparação com abril do ano passado, a taxa cresceu 1,5 ponto percentual, passando de 4,9% para 6,4%.

Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (21) e fazem parte da PME (Pesquisa Mensal de Emprego). A PME é baseada nos dados das regiões metropolitanas de Recife, Belo Horizonte, São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Segundo o IBGE, o contingente de desempregados em abril foi estimado em 1,6 milhão de pessoas na área pesquisada, permanecendo o mesmo em comparação com março, mas cresceu 32,7% na comparação com o mesmo período do ano passado, com 384 mil pessoas a mais.

O IBGE não inclui no número de desempregados as pessoas que não têm trabalho, nem procuraram nos 30 dias anteriores à pesquisa.

Regiões tiveram aumento no desemprego em um ano

De acordo com o IBGE, o desemprego ficou estável no mês em todas as regiões pesquisadas. Em relação ao ano passado, porém, ele aumentou.

Na comparação com abril de 2014, a taxa em Salvador passou de 9,1% para 11,3%; de 3,6% para 5,5% em Belo Horizonte; de 3,2% para 5,0% em Porto Alegre; de 3,5% para 5,2% no Rio de Janeiro; de 6,3% para 7,8% em Recife; e de 5,2% para 6,3% em São Paulo.

Cai o rendimento médio dos trabalhadores

O rendimento médio real dos trabalhadores (descontada a inflação) foi estimado em R$ 2.138,50, 0,5% menor que o de março, quando era de R$ 2.148,71, e 2,9% menor do que em abril de 2014, quando era de R$ 2.202,50.

Todas as regiões pesquisadas mostraram queda no rendimento em um ano. No mês, apenas São Paulo teve aumento (0,6%); em Porto Alegre, permaneceu estável.

O setor que registrou maior variação no rendimento foi o da construção, caindo 4% no mês e 7,5% em um ano, para R$ 1.871,70.

Segundo o IBGE, o número de carteiras assinadas no setor privado ficou em 11,5 milhões, considerado estável na comparação com março. Em um ano, porém, esse número caiu 1,9%, com 219 mil pessoas com carteira a menos.

Pnad Contínua registrou desemprego de 7,9%

O IBGE também divulga outra pesquisa mensal de emprego, a Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) mensal. Na última, com dados do primeiro trimestre, o desemprego registrado foi de 7,9%, o maior desde o primeiro trimestre de 2013.

A Pnad Contínua tem uma abrangência maior que a PME, porque leva em conta dados de 211.344 domicílios particulares permanentes distribuídos em cerca de 3.500 municípios.

Fonte: UOL
 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br