Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O sabio que tudo sabe é aquele que sabe que nada sabe.
Platão
22/05/2015

Senado adia para semana que vem votação da MP que altera benefícios trabalhistas

BRASÍLIA (Reuters) - Os senadores adiaram para a próxima terça-feira a votação da medida provisória 665, que altera regras de acesso a benefícios trabalhistas, postergando a análise no Senado Federal da primeira das medidas editadas pelo governo para o ajuste fiscal.

Os parlamentares chegaram a iniciar a discussão da proposta no fim da tarde desta quarta-feira, mas a votação foi adiada devido ao grande número de inscritos para discursar em plenário.

Os intermináveis discursos levaram a sessão ao ponto de o líder do governo, senador Delcídio Amaral (PT-MS), propor um acordo aos líderes, temendo que o quórum já baixo pudesse se traduzir em derrota.

"Pedimos o adiamento porque havia muitos oradores inscritos... Essa sessão ia entrar pela noite e consequentemente a gente passa a ter dificuldade de quórum, porque os senadores estão desde cedo aqui", disse Delcídio a jornalistas.

"Nós achamos mais prudente, como é um tema muito relevante, achamos prudente terminar a discussão hoje e na terça-feira a votação", afirmou.

Delcídio reconheceu que será uma votação "inegavelmente difícil", mas que o adiamento pode proporcionar uma discussão "mais racional" sobre o tema.

Segundo ele, alguns parlamentares questionaram a constitucionalidade de um artigo que trata do abono salarial, mas não deu mais detalhes, acrescentando apenas que pretende negociar o tema com senadores e governo até a votação.

Mais cedo, senadores de partidos que integram a base do governo e detêm ministérios posicionaram-se contra a medida. Foi o caso dos petistas Lindbergh Farias (RJ) e Paulo Paim (RS), que assinaram um manifesto contra o ajuste, além de Cristóvam Buarque (DF), Marcelo Crivella (PRB-RJ), Roberto Requião (PMDB-PR) e Hélio José (PSD-DF).

Os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e os integrantes do PSB Antonio Carlos Valadares (SE), Lídice da Mata (BA), João Capiberibe (AP) e Roberto Rocha (MA) também assinaram o documento.

MEDIDA CONTROVERSA

A MP prevê uma carência de 12 meses para a concessão do seguro-desemprego pela primeira vez ao trabalhador. O governo pretendia, quando editou a MP, elevar esse período dos atuais seis para 18 meses, mas o prazo foi alterado para 1 ano ao longo da tramitação no Congresso Nacional.

O texto também estabelece um prazo de 90 dias de atividade remunerada para o recebimento do abono salarial anual, que terá o valor máximo de um salário mínimo, para beneficiários que trabalhem em empresa que contribua para o PIS/Pasep.

A regra atual estipulava esse prazo em um mês. O cálculo do abono será feito de maneira proporcional, a exemplo do que já ocorre para o pagamento do 13º salário.

Ao mesmo tempo que o Congresso discute propostas do governo para ajustar as contas, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira projeto de lei da Câmara dos Deputados que estabelece reajuste ao Poder Judiciário de, em média, 59,49 por cento.

A proposta segue para votação em regime de urgência no plenário do Senado.

De acordo com o parecer favorável do relator, senador José Maranhão (PMDB-PB), o aumento vai variar de 53 por cento a 78,56 por cento em função da classe e do padrão do servidor.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Fonte: Yahoo Brasil
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br