Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O bom texto não é escrito, é reescrito
Ovídio
08/04/2015

Relator defende terceirização, mas Ministério Público é contra projeto

Relator da proposta que regulamenta a terceirização (PL 4330/04), o deputado Arthur Oliveira Maia (SD-BA) disse que os trabalhadores estão exagerando na crítica ao projeto. "Estão criando um quadro de terror e um cenário apocalíptico que não se confirmou em nenhum país que regulamentou a questão", argumentou Maia. Ele afirmou que a terceirização já é uma realidade no Brasil e a regulamentação vai acabar com insegurança jurídica e dar competitividade às empresas.

A proposta terá a urgência analisada nesta terça-feira (7) pelo Plenário da Câmara dos Deputados e, se aprovada, será iniciada a discussão. Ainda não há acordo sobre o projeto, que tem apoio da Força Sindical, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e oposição da Central Única dos Trabalhadores, do PT e outras centrais sindicais. Manifestantes contrários ao texto protestam em frente à entrada principal do anexo 2 da Câmara neste momento.

Arthur Maia destacou que o projeto exige que as empresas que fornecerão mão de obra terceirizada deverão ser especializados em um setor e não lidar com funcionários genéricos. Disse ainda que, para garantir os direitos dos trabalhadores, caberá à empresa contratante (e não à terceirizadora) o pagamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e de outros tributos.

Ministério Público

O Ministério Público do Trabalho, no entanto, mantém oposição ao texto. Para o presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho, Carlos Eduardo Lima, a proposta vai possibilitar que empresas terceirizem toda a mão de obra. "Permitirá que tenhamos, por exemplo, uma empresa especializada em serviços bancários, de forma que o banco não tenha mais nenhum empregado formalmente reconhecido como bancário", sustentou.

Contrariando Arthur Maia, o procurador do Trabalho disse ainda que há estudos comprovando que a terceirização precariza o mercado. "Temos estatísticas que comprovam que o terceirizado, mesmo com grau de especialização semelhante ao contratado, trabalha mais horas, ganha menos, se acidenta muito mais e isso é ruim para sociedade sob todos os aspectos", avaliou.

Fonte: Câmara dos Deputados
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br