Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Cuidado com aqueles que querem convencê-lo de que é impossível lutar pelo bem, só porque é impossível alcançar a perfeição.
John Ruskin
02/03/2015

Fiscalização do trabalho interdita frigorífico de aves Aurora de Erechim

Em inspeção na empresa Cooperativa Central Aurora Alimentos, localizada em Erechim, RS, com 1.297 empregados, realizada nos dias 24 a 27 de fevereiro de 2015, a fiscalização do MTE constatou um conjunto de irregularidades que caracterizaram RISCO GRAVE E IMINENTE à saúde e à integridade física dos trabalhadores expostos, determinando a interdição das seguintes máquinas e setores de trabalho:

a) 3 (três) Máquinas Embaladoras de peitos de frangos patrimônio cotrel 15968, 08052, 08054 localizadas no Setor de Sala de Cortes e 1 máquina embaladora de miúdos (3) localizada no setor de miúdos;

b) 03 máquinas filetadoras de peito localizadas na sala de cortes;

c) 1 máquina alimentadora e processadora de coxas localizada na sala de cortes;

d) 1 máquina Chiller condicional localizada no setor de evisceração;

e) 2 máquinas de repasse de moela localizadas no setor de evisceração;

f) 2 máquinas estrechadeiras localizadas no setor de paletização;

g) 1 elevador de carga de preparo de embalagem;

h) 1 elevador de carga do almoxerifado industrial;

i) o Setor de túneis de congelamento

j) o Setor de embalagem secundária, especificamente a atividade de bater caixa

l) o Setor de sala de cortes, especificamente a atividade de quebrar o peito/dorso

Em relação às máquinas as principais irregularidades encontradas foram a falta de atendimento da NR-12, como dispositivos de acionamento e parada em desacordo com a NR-12, que não operavam em extra baixa tensão; dispositivo de parada de emergência não interligada a interface de segurança; ausência de aterramento em conformidade com normas técnicas vigente. Potencializa o risco de choque elétrico o fato do ambiente ser extremamente úmido. Constatada a ausência de proteções móveis ou fixas nas zonas de perigo, permitindo o acesso do operador à área de perigo.

Contatou-se que ocorreram acidentes com as máquinas interditadas, citando-se como exemplo nas máquinas embaladoras: em março de 2012 ao recolocar o plástico na máquina uma trabalhadora prensou o dedo ocorrendo a amputação da falange distal do 3º dedo da mão direita (CAT 201.099.123-3/01); outro trabalhador, em fevereiro de 2013 que prensou o braço na máquina (CAT 2013.093.026-1/01) ao tentar ?destrancar? a máquina; outra trabalhadora teve amputação do polegar em janeiro de 2014 (CAT 2014.008.491-6/01).

Em relação aos setores de trabalho interditados, constatou-se ritmo excessivo de trabalho e movimentação manual de cargas acima dos limites recomendados pela NR-36, expondo os trabalhadores ao risco de adoecimento por LER/DORT (lesões por esforços repetitivos e doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho).

No setor de túneis de congelamento, nas atividades de montagem de paletes, composição de gaiolas ou contentores com caixas e embalagens de produtos, verificou- se a existência de várias situações críticas na atividade, como a paletização até 2,20 m de altura e alturas muito próximas do solo, cerca de 13 cm; distâncias de 78 a 90 cm do corpo do trabalhador e a utilização de movimentos bruscos com impacto para os membros superiores ao arremessar as caixas contra as paredes de metal, utilizadas para montar os paletes. São todas situações vedadas pela NR-36 na movimentação manual de cargas.

Além disso, somente no ano de 2014 ocorreram 24 afastamentos do trabalho nesse setor, de um ou dois dias, referentes à CID M (doenças do sistema osteomuscular), com os trabalhadores acometidos por ciática, dor lombar baixa, epicondilite lateral, transtornos de discos lombares e de outros discos intervertebrais, outras lesoes do ombro, capsulite adesiva do ombro e cervicalgia.

A aplicação de forças na manipulação de cargas acima do limite de peso recomendado pode levar ao adoecimento por microfraturas do disco intervertebral, alterações degenerativas dos processos articulares e danos à estrutura dos ligamentos.

Já no setor de embalagem secundária, especificamente a atividade bater caixa e no setor de sala de cortes, especificamente a atividade quebrar o peito/dorso, os fatores de risco diretamente relacionados ao desenvolvimento de doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho (DORT) encontrados foram: a) o ritmo excessivo, com ritmo imposto pela máquina (esteira ou linha do cone); b) uso excessivo de força muscular e c) adoção de posturas inadequadas de trabalho.

As duas atividades analisadas impõem um ritmo de execução de 80 a 90 ações (movimentos) dos membros superiores dos empregados, muito acima dos limites considerados seguros, para evitar o adoecimento, que é de no máximo 30 ações por minuto.

Os trabalhadores estavam submetidos a um ritmo extenuante, sendo obrigados a dar conta de 18 a 20 caixas de produto por minuto (atividade de bater caixa) e de 16 a 18 frangos por minuto (atividade de quebrar peito/dorso).

A análise dessas atividades através da Norma Técnica ABNT NBR ISO 11.228:3(2013) , revelou uma previsão de adoecimento entre 25 e 40% dos trabalhadores expostos a essas atividades, situação incompatível com o direito constitucional ao exercício do trabalho com garantia de saúde e segurança para os trabalhadores.

A partir da interdição a empresa deverá realizar a adequação de máquinas e setores, com a instalação de proteções, aumento do número de trabalhadores e demais medidas previstas no relatório técnico da fiscalização, com o objetivo de preservar a saúde e a segurança dos trabalhadores.

Após a realização das adequações a empresa deverá solicitar nova vistoria da fiscalização para verificar a eliminação do grave e iminente risco.

- Coordenador estadual do Projeto Frigoríficos, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE/RS), auditor-fiscal do Trabalho Mauro Marques Müller (lotado em Passo Fundo): celulares (54) 9924-2565 e (55) 8102-9249

Fonte: Coordenador estadual do Projeto Frigoríficos do MTE/RS
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br