Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O bom texto não é escrito, é reescrito
Ovídio
18/12/2014

55% dos empregados não ficam 1 ano na função

EM 2003, 42% NÃO COMPLETAVAM NEM 1 ANO COM MESMO EMPREGADOR

Visando conter gastos, governo federal estuda formas para reduzir a rotatividade em setores como construção civil

SOFIA FERNANDES

DE BRASÍLIA

"Você tem uma cultura e dinâmica de liberdade de demissão, em razão de uma dinâmica econômica de baixo valor agregado. Assistentes, ajudantes, serventes geralmente compõem o grosso dos que rodam Clemente Ganz Lúcio diretor do Dieese

O Ministério do Trabalho divulgou nesta quarta-feira (17) estudo feito pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) que revela que, de cada 100 trabalhadores, 55 não chegam a completar nem um ano com o mesmo empregador em 2013.

O número cresceu em relação a 2003, quando essa relação era de 42 demitidos para cada 100 trabalhadores. E tem se mantido no atual patamar em 2011 (54,6) e 2012 (55,2).

Para reduzir a rotatividade no mercado de trabalho brasileiro, uma das causas dos gastos crescentes com seguro-desemprego no país, o governo estuda medidas.

Os setores de construção civil, agricultura e call centers, que têm as maiores taxas de rotatividade, vão receber atenção especial de grupos de trabalho do governo, que vão estudar a dinâmica desses setores e avaliar formas de conter a rotatividade.

MUdaNÇA DE REGIME

Uma das medidas estudadas é a mudança do regime de registro dos empregados desses setores, que naturalmente demitem e contratam com muita frequência.

Segundo Clemente Ganz Lúcio, diretor técnico do Dieese, um trabalhador da construção civil, por exemplo, quando demitido de uma obra já pronta e contratado por outra logo na sequência, não teria seu contrato suspenso. A ideia está sendo avaliada pelo governo, disse.

QUALIFICAÇÃO

Para o ministro Manoel Dias (Trabalho), qualificação profissional é prioridade nesse esforço de reduzir a taxa de rotatividade.

A baixa qualidade dos postos de trabalho justifica a alta taxa no país, diz Lúcio. "Você tem uma cultura e dinâmica de liberdade de demissão, em razão de uma dinâmica econômica de baixo valor agregado. Assistentes, ajudantes, serventes geralmente compõem o grosso dos que rodam."

Outros sistemas de proteção ao emprego estão sendo estudados pelo governo.

Centrais sindicais estiveram com técnicos do Ministério da Fazenda há algumas semanas para discutir a redução de jornada e salário para evitar demissões em tempos de crise econômica.

A discussão em torno dos gastos em demitir um trabalhador tem ganhado importância neste período de transição.

Em seu esforço de cortar gastos nos próximos anos, o governo tem indicado que redução no pagamento de seguro-desemprego será uma das prioridades.

Uma das apostas é a modernização dos sistemas de registro do trabalhador. A versão eletrônica da carteira de trabalho (um cartão digital com código de barras que vai substituir a atual versão, de papel) será oferecida em todo o país até o primeiro semestre do ano que vem.

Com o sistema informatizado, o governo espera criar mecanismos mais ágeis de intermediar mão de obra recém ociosa com vagas disponíveis.

Fonte: Folha de S. Paulo - 18/12/2014
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br