Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Aquele que já não é teu amigo, nunca o foi realmente.
Aristóteles
12/12/2014

Minha Casa: calote de R$ 2 bi

Tesouro atrasa repasse de recursos às construtoras que realizam obras do programa habitacional voltado a famílias de baixa renda. Sem dinheiro para pagar salários, empresas podem iniciar demissões

ROSANA HESSEL

Uma das principais vitrines do governo da presidente Dilma Rousseff, o Minha Casa Minha Vida (MCMV) está tirando o sono dos donos de construtoras Brasil adentro. Desde novembro, os repasses do Tesouro para o pagamento das empresas que realizam obras em empreendimentos do programa foram interrompidos, deixando-as sem dinheiro em caixa para cumprir as obrigações.

Fontes do setor contam que o mal-estar é enorme diante da dificuldade do governo para colocar as contas públicas em dia. Para não enfrentar complicações judiciais, Dilma conseguiu que o Congresso aprovasse o Projeto de Lei nº 36, que alterou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2014 e praticamente abandonou a meta fiscal deste ano.

As estimativas sobre o valor dos atrasados giram entre R$ 1,5 bilhão a R$ 2 bilhões. Sem receber, as construtoras estão sem dinheiro para pagar o 13º salário dos funcionários e cogitam demitir. Os recursos correspondem aos subsídios concedidos aos compradores de imóveis beneficiados pelo programa. Os valores devem ser repassados aos bancos públicos que financiam os empreendimentos e, posteriormente, às construtoras. De acordo com as fontes, o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, teria prometido quitar os débitos até ontem, mas isso não ocorreu.

"O clima é de preocupação. Todas as empresas que possuem contrato com o MCMV e tiveram os pagamentos programados a partir de 14 de novembro sofrem com atrasos", disse o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins. Ele estima que mais de 100 construtoras em todo o Brasil estejam nessa condição. "Procuramos o Tesouro Nacional para saber do problema e não tivemos retorno", afirmou.

A tensão é cada vez maior nas empresas, de acordo com Martins, porque elas trabalham alavancadas, ou seja, endividadas. "A margem de ganho no MCMV é pequena. Elas só conseguem ter resultado no volume, e isso exige muito capital de giro. Com os atrasos, elas estão extremamente preocupadas", disse.

Em nota, o Ministério da Fazenda negou as irregularidades. "A Secretaria do Tesouro Nacional informa que não há atrasos no pagamento do MCMV", afirma o documento. O Ministério do Planejamento e a Caixa Econômica Federal, agente financeiro do programa, não se manifestaram. O Ministério das Cidades, que é o gestor do programa, garantiu, também por meio de nota, que "o cronograma de pagamentos do programa Minha Casa Minha Vida segue com o fluxo normal".

Números

Segundo a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, o MCMV contratou 3,7 milhões de moradias de 2011 a 2014. Até novembro passado, 1,87 milhão haviam sido entregues. "Alcançaremos a meta agora em dezembro, com a contratação de 3,75 milhões de casas", disse ela, acrescentando que a terceira etapa do MCMV deverá prever mais 3 milhões de unidades.

Os gastos do MCMV devem somar R$ 88,8 bilhões até o fim do ano. De acordo com o Planejamento, os empreendimentos concluídos beneficiaram 1,9 milhão de famílias e geraram 1,2 milhão de empregos.

Fonte: Correio Braziliense - 12/12/2014
 
+ Clipagem

Brasil vive apagão estatístico sobre mercado de trabalho - Sem dados de IBGE, Caged e seguro-desemprego, país pode ficar sem saber dano do coronavírusFernanda Brigatti

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br