Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Ser delicado é prudente, ser indelicado é estupidez. Criar inimigos inutilmente é uma loucura, é como quem põe fogo à própria casa.
Schopenhauer
25/11/2014

Fazenda confirma promessa de Dilma de reajustar tabela do IR

Correção em 2015 deve ser mantida em 4,5%, abaixo da inflação

Martha Beck

Cristiane Jungblut

BRASÍLIA

O Ministério da Fazenda informou, por meio de assessores, que está mantido o compromisso de corrigir a tabela do Imposto de Renda em 2015, conforme prometido pela presidente Dilma Rousseff, durante a campanha eleitoral, para ter efeitos já em 2015. Na campanha, o governo chegou a sinalizar que a correção poderia ser igual à inflação, mas a intenção é manter o reajuste em 4,5%. A proposta de correção da tabela do Imposto de Renda em 4,5% deverá ser retomada na Medida Provisória (MP) 656, que trata de benefícios fiscais.

O governo ainda não negociou com os parlamentares da base aliada a inclusão da correção da tabela em uma outra MP, porém, interlocutores do Palácio do Planalto dizem que a ideia é essa. Ainda durante da campanha eleitoral, a MP 644, que tratava do assunto, perdeu a validade.

Apesar de o Planalto sinalizar que quer retomar a discussão, alguns aliados ainda duvidam disso, alegando que o governo enfrenta dificuldades para fechar as contas em 2014 e terá problemas semelhantes em 2015. A oposição cobrou, na campanha, a correção em 6,5%, com base no IPCA.

O líder do PMDB na Câmara, deputado Eduardo Cunha (RJ), reiterou ontem que a correção deve ser incluída na MP 656, justamente porque ela trata de temas econômicos.

- Acredito que não vá se deixar sem correção. A ideia é colocar a correção da tabela na MP 656. Mas falta reunir a comissão especial - disse Cunha.

Discussão durante a semana

Já o senador Romero Jucá (PMDB-RR), que participa da discussão técnica da MP 656, disse que ainda vai discutir o assunto com o governo ao longo desta semana.

- Temos que conversar ainda com o governo - disse Romero Jucá.

Há algumas dúvidas entre os aliados sobre a real vontade do governo de garantir a correção da tabela. Isso porque haverá efeitos negativos na arrecadação de impostos. E, para 2015, será mantido o cenário de incertezas que marca o final de 2014. Na última sexta-feira, o governo já reduziu a previsão de crescimento para 2015 de 3% para 2% do PIB. Além disso, a previsão de inflação (IPCA) subiu de 5% para 6,10% ao ano em 2015. Para 2014, os parâmetros macroeconômicos indicam um crescimento da economia de apenas 0,5% do PIB e uma inflação de 6,27%.

Jucá disse que discutirá a questão com a equipe econômica e com o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE). A MP 656 ainda não foi aprovada na comissão especial criada para analisar o texto. Depois de passar na comissão especial, a MP é votada nos plenários da Câmara e do Senado.

Caminho alternativo

Na campanha eleitoral, Dilma prometeu que o benefício da correção do IR seria concedido. Depois, quando a MP que tratava do assunto perdeu a validade, o próprio presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que a proposta seria incluída em outra MP em tramitação. A correção tem que ser aprovada até 22 de dezembro, último dia de trabalho do Congresso antes do recesso constitucional.

A MP 656 foi editada no início de outubro e trata de uma série de benefícios fiscais, como a redução a zero das alíquotas da contribuição para o PIS/Pasep, da Cofins, da Contribuição para o PIS/Pasep-Importação e da Cofins-Importação incidentes sobre a receita de vendas e na importação de partes utilizadas em aerogeradores.

Fonte: O Globo - 25/11/2014
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br