Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

No reinado da lei, o pobre e o rico tem direitos iguais... e o pequeno vence o grande se tem por si a justiça; é uma idéia remota, pois vem de Euripides. Historicamente, porém, é uma idéia falsa: o direito nunca foi outra coisa senão uma organização das desigualdades.
Jean Cruet
15/10/2014

Tribunais de Justiça recebem selo de defesa de crianças e adolescentes

Doze tribunais de Justiça receberam hoje (14) o Selo Infância e Juventude pelas boas práticas na defesa dos direitos da criança e do adolescente. Esta é a primeira edição da premiação, concedida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Segundo o presidente do CNJ, ministro Ricardo Lewandowski, o objetivo é o reconhecimento público dos tribunais que priorizam as ações relacionadas à infância e à juventude mediante a estruturação das respectivas coordenadorias de Infância e Juventude, nos termos da Resolução CNJ 94/2009, que tem origem também de uma parceria com o Unicef.

?Essa iniciativa prestigia dois valores constitucionais importantes: o acesso à Justiça e o direito fundamental de proteção da infância e da juventude. O CNJ está, na verdade, prestigiando o futuro do nosso país, que são as crianças e os adolescentes?, disse Lewandowski.

Nesta primeira edição, o Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) obteve a melhor pontuação da categoria Ouro, seguida pelos tribunais de Minas Gerais, do Espírito Santo , de Mato Grosso do Sul, de Pernambuco e de Santa Catarina. Na categoria Prata, foram premiados os tribunais do Pará e do Distrito Federal e Territórios. Já as Cortes de Roraima, de Mato Grosso, do Maranhão e do Ceará receberam o Selo Bronze.

A premiação foi definida por categorias - Bronze, Prata, Ouro e Diamante -, de acordo com a pontuação obtida a partir de critérios estabelecidos em edital desde a implantação da Coordenadoria de Infância e Juventude (CIJ) local. Entre os requisitos de classificação estão estrutura física adequada, recursos humanos com dedicação exclusiva, formalização de parcerias, projetos e capacitação de magistrados e servidores na área da infância e juventude.

Para o juiz do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, Renato Rodovalho Scussel, presidente do Colégio de Coordenadores da Infância e da Juventude dos Tribunais de Justiça do Brasil, antes de ser um incentivo a todas as coordenadorias para implementação e consolidação do trabalho, o selo serve de parâmetro de averiguação, de ajuste entre os tribunais, no sentido de como as coordenadorias estão viabilizadas, "para implementar de forma mais regular, justa e efetivas os instrumentos para o exercício da Justiça e de políticas judiciárias para a infância e juventude?.

Scussel cita as ações feitas no Distrito Federal, como a sistematização dos procedimentos e das formas judiciais em todas as varas do tribunal; o Núcleo de Apoio ao Atendimento Integrado Judicial ao Adolescente em Conflito com a Lei (Naijud), um centro que faz o atendimento inicial de adolescentes apreendidos; e o Sistema da Justiça e Cidadania da Infância e da Juventude, que prevê a construção de um polo de cultura, Justiça e cidadania no local onde funcionava o antigo Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje), palco de rebeliões e mortes de internos e que foi demolido no início do ano.

?Essa proposta se encontra em estudo e até o final do ano o tribunal deve ter uma resposta definitiva. A CIJ elaborou o projeto para realmente efetivar um atendimento diferenciado, com uma Justiça rápida e séria. E, com a solução de conflitos, promovermos a paz com a comunidade, com a cultura, o teatro e o lazer, para que seja um polo efetivo de infância e juventude?, disse Scussel.

O Selo da Infância e Juventude tem validade de dois anos e os premiados poderão exibir a logomarca nos seus portais ou em documentos oficiais.

Segundo o desembargador Cláudio Deda, presidente do TJSE, as coordenadorias vieram também para atuar como instrumento de suporte aos serviços na área da infância e juventude. ?Nós temos agilizado casos de adoção, casos de crianças postas em abrigos e até resolvido questões das mais simples possíveis, como a emissão da certidão de nascimento, um instrumento de cidadania?, disse Deda.

O Tribunal de Justiça do Espírito Santo tem investido também na capacitação dos juízes do tribunal, com tempo dedicado à infância e juventude. A desembargadora supervisora da CIJ do Espirito Santo, Eliana Munhoz, cita ainda projetos de estímulo à adoção tardia, cursos aos pretendentes à adoção, programas de reconhecimento de paternidade e cursos profissionalizantes para adolescentes internos do sistema socioeducativo.

Para a representante adjunta do Unicef no Brasil, Esperanza Vives, a premiação é uma excelente maneira de comemorar os 25 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, editada pela Organização das Nações Unidas em 1989. ?Esperamos que a premiação ajude as coordenadorias, e o sistema judiciário em geral, a garantir os direitos das crianças e dos adolescentes, como o de serem ouvidos durante os processos judiciais a eles relacionados, como assegura o Artigo 12 da convenção?, disse Vives.

Fonte: Agência Brasil
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br