Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Assim como a abelha colhe o mel de diferentes flores, o homem sábio aceita a essência das diferentes escrituras e vê somente o bem em todas as religiões.
Srimad Bhagavatam
12/09/2014

Seminário no Ceará discutiu a criação do SUT, seus impactos e consequências

O Fórum Permanente em Defesa do Serviço Público do Ceará, do qual o Sinait participa, promoveu no dia 14 de agosto, em Fortaleza (CE), na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego ? SRTE/CE, o Seminário ?Sistema Único do Trabalho: a quem Interessa? ? Impactos e Consequências da Criação do SUT?, com a participação de Auditores-Fiscais do Trabalho, Servidores Administrativos e representantes de centrais sindicais. A mesa foi presidida pela servidora Carmem Lúcia Marques, da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social no Estado do Ceará - Sinprece.

O palestrante convidado foi o procurador do Trabalho Francisco Gerson Marques de Lima, que fez crítica contundente ao projeto por ter sido elaborado sem a colaboração dos legítimos atores sociais, ou seja, servidores do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE e os representantes dos trabalhadores. Ele fez uma análise detalhada do projeto, demonstrando não só um profundo conhecimento do assunto, mas, também, uma preocupação com o andamento do mesmo por considerá-lo altamente nocivo ao MTE e à classe trabalhadora. Fez referência às inconstitucionalidades do projeto e imperdoáveis omissões como, por exemplo, a questão do direito sindical.

O aspecto mais grave, na visão do procurador, é a falta de conhecimento do conteúdo exato do projeto e suas consequências. Em sua fala, ficou claro que o projeto deve ser rejeitado e sugeriu a realização de um ato público pelas centrais sindicais, iniciando com uma passeata, saindo da SRTE/CE e terminando na Assembleia Legislativa com uma audiência pública. Para ele, a ênfase do movimento deve ser a causa dos trabalhadores, pois o momento não é de enfrentamento por ser essa causa mais política e propôs um abaixo assinado com um milhão de assinaturas.

Nos debates, o Delegado Sindical do Sinait, o Auditor-Fiscal do Trabalho Sebastião de Abreu Neto, fez uma retrospectiva do que já foi feito pelo Sindicato e outras entidades de classe pela rejeição do projeto de criação do Sistema Único do Trabalho ? SUT.

O superintendente Regional do Trabalho, Auditor-Fiscal Francisco Ibiapina defendeu o debate e construção de alternativas, e ainda que o seminário tivesse conclusões propositivas.

Carmem Lúcia informou sobre o Manifesto e o documento com 14 reivindicações produzidos no Seminário ocorrido de 8 a 10 de agosto, em Brasília, do qual participaram representantes de servidores de todo o Brasil e do encontro realizado em São Paulo, quando foi solicitado pela CUT um prazo de 90 dias para estudo do projeto. Os documentos foram entregues ao ministério do Trabalho e Emprego e amplamente divulgados pelo Sinait, Condsef, Fenasps e CNTSS.

O superintendente Regional do Trabalho e Emprego, Francisco José Pontes Ibiapina defendeu que sejam buscadas alternativas, com vista a um melhor atendimento ao trabalhador.

Os diversos representantes sindicais que se pronunciaram foram unânimes em criticar projeto. Para eles, é uma tentativa de desmonte do MTE e enxergam a clara intenção de transferir atribuições do MTE para Estados e municípios, com a transferência de verbas do Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT, o que irá, por certo, ocasionar déficit, considerando a quantidade de Conselhos a serem criados, em razão do número de municípios.

Um servidor do INSS, relatou como vem funcionando o Sistema Único de Saúde ? SUS, cujo modelo é inspiração para a criação do SUT. Segundo ele, os servidores do Ministério da Saúde lotados no SUS sofrem pressões e muitas vezes são substituídos por cooperativas. Ou seja, há terceirização no sistema, prática que os servidores do MTE não querem que aconteça, pois vem na contramão do que é reivindicado hoje, com insistentes pedidos de realização de concurso público e ampliação do quadro efetivo de pessoal, tanto na área administrativa como na Auditoria-Fiscal do Trabalho.

A proposta geral é de que seja feito um debate nacional, mobilização de toda a classe trabalhadora e de que o assunto seja levado para as ruas e aos candidatos nestas eleições de 2014.

Finalizando, foram feitos os seguintes encaminhamentos: discutir o projeto com os sindicatos; solicitar o posicionamento do MPT; procurar um entendimento com a Organização Internacional do Trabalho - OIT; encaminhar documento ao Tribunal Superior do Trabalho - TST; utilizar a mídia para divulgação; formar comissão de técnicos jurídicos; debater com os candidatos; e propor audiência pública, nas três esferas.

Fonte: SRTE/CE,
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br