Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

A dúvida é o começo da sabedoria.
Aristóteles
27/08/2014

Reajustes salariais melhoraram em 2014, diz Dieese

As categorias profissionais com data-base no primeiro semestre conseguiram melhores reajustes salariais em comparação ao mesmo período do ano passado. Levantamento nacional feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revela que 93,2% das 340 categorias analisadas obtiveram aumentos de salários no período superiores à inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

O aumento médio, descontada a inflação, foi de 1,54%. No primeiro semestre do ano passado, os resultados tinham sido piores: 83,5% das 340 categorias profissionais analisadas conseguiram aumento médio real de 1,08%.

O resultado do primeiro semestre é o segundo melhor em número de categorias que conseguiram aumento real de salário desde o início da pesquisa iniciada em 2008, perdendo apenas para o primeiro semestre de 2012, quando 95,6% das categorias obtiveram aumento real. Quando se avalia o porcentual médio de reajuste real dos salários, o resultado deste ano é o terceiro melhor da série, atrás de 2012 (2,15%) e de 2010 (1,57%).

"O enfraquecimento da economia, por conta do baixo crescimento do PIB projetado abaixo de 1%, não teve impactos nos reajustes", afirma o coordenador de atendimento sindical do Dieese, Airton Santos.

Desemprego

Dois fatores, diz Santos, levaram a esse resultado favorável, apesar do cenário econômico desfavorável. O primeiro fator é que o nível de desemprego está baixo. "Não existe um quadro de desemprego desenhado e definido: o fluxo de geração de postos de trabalho do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) é menor, mas continua positivo."

Além disso, Santos ressalta que a expectativa de explosão da inflação não se concretizou. "Com a inflação menor, fica mais fácil negociar reajuste real de salário maior", diz. Em julho, a inflação medida pelo índice oficial, o IPCA, foi de 0,01%. Mas em 12 meses até julho, a alta acumulada é de 6,53%, acima do teto da meta estabelecida pelo governo, que é 6,5%.

Perspectivas

Metalúrgicos, bancários e comerciários são exemplos de categorias fortes que têm data-base no segundo semestre. Na opinião do coordenador do Dieese, a perspectiva é que não haja um retrocesso nas negociações salariais nos próximos meses. "Quando o primeiro semestre é favorável para as negociações salariais, a tendência é que se mantenha no segundo semestre", diz.

Outro ponto a favor, segundo Santos, para que esse nível de reajuste seja mantido é que normalmente o ritmo da atividade econômica se acelera a partir da segunda metade do ano. Ele também lembra que a perspectiva é que a inflação desacelere nos próximos meses, fechando o ano abaixo de 6,5%. "A relação entre o baixo crescimento da economia e seus efeitos sobre o mercado de trabalho deve se cristalizar mais para a frente", prevê.

Setores

O comércio foi o setor com melhor desempenho nos reajustes salariais no primeiro semestre: 95,7% das negociações tiveram reajuste real médio de 1,57%.

Na sequência veio a indústria, com aumento médio real de salários de 1,55% para 92,9% das negociações fechadas. Por último está o setor de serviços, com os trabalhadores obtendo aumento real de 1,5% em 92,8% dos acordos. (Fonte: Estadão)

Fonte: Estradão
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br