Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Cuidado com aqueles que querem convencê-lo de que é impossível lutar pelo bem, só porque é impossível alcançar a perfeição.
John Ruskin
12/06/2014

Gastos com seguro-desemprego devem ir a R$ 40,2 bi em 2015

FAT prevê aumento de 14,36% na despesa. Calendário do abono mudará

GERALDA DOCA

-BRASÍLIA- O orçamento do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) para 2015, aprovado ontem pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), prevê que os gastos com seguro-desemprego cheguem a R$ 40,262 bilhões no próximo ano, 14,36% a mais que a estimativa para este ano, de R$ 35,204 bilhões. Com o abono salarial, a previsão é de uma despesa de R$ 19,971 bilhões, aumento de 19,58% frente ao valor projetado para este ano, de R$ 16,7 bilhões. O crescimento dessas despesas contribuiu para o déficit recorde de R$ 19,938 bilhões no orçamento do FAT para 2015. O rombo bilionário nas contas do Fundo previsto para o ano que vem foi antecipado pelo O GLOBO. Segundo o orçamento aprovado ontem, as despesas chegarão a R$ 82,375 bilhões e as receitas, a R$ 62,436 bilhões.

Esse déficit tem crescido nos últimos anos devido, principalmente, ao impacto do reajuste real do salário mínimo nos gastos com seguro-desemprego e abono salarial (PIS). Além disso, a formalização da mão de obra e o índice elevado de rotatividade no mercado formal de trabalho, de 40%, também são fatores que contribuem para o aumento dos gastos com o seguro, segundo o Ministério do Trabalho. Para cada grupo de cem empregados, 40 são demitidos por ano. De acordo com o ministério, o número de pessoas que recorrem ao benefício tem se mantido estável, em 8 milhões por ano.

Também pesam nas contas do FAT as desonerações referentes às contribuições do PIS/Pasep, sua principal fonte de receita. Sem os aportes do Tesouro, o patrimônio do FAT terá que começar a ser sacrificado para fazer frente às despesas correntes.

O orçamento de 2015 prevê uma despesa de R$ 2 bilhões com outras rubricas, como qualificação profissional. Além disso, o FAT repassará ao BNDES R$ 20,126 bilhões, o que corresponde a 40% do total de receitas, conforme determina a Constituição. As receitas do Fundo também são atingidas pela Desvinculação das Receitas da União (DRU), que vai reter no Tesouro outros R$ 12,578 bilhões para destinação livre.

Para 2014, o déficit projetado é de R$ 12,048 bilhões. Os valores terão de ser cobertos pelo Tesouro para que o FAT consiga pagar os benefícios do seguro-desemprego e do abono salarial.

Segundo o presidente do Codefat, Quintino Severo, a expectativa é que o Tesouro faça os aportes necessários. Mas isso não está garantido: - Ainda não sabemos qual será o resultado final desse processo. A aprovação do orçamento pelo Codefat é a primeira etapa. A execução dependerá dos ministérios do Planejamento e da Fazenda.

PAGAMENTO DO ABONO DILUÍDO EM QUATRO MESES Pressionado pela equipe econômica, ontem, o Codefat aprovou também uma nova tabela que diluiu os pagamentos do abono salarial relativos a 2015, antes concentrados em julho para os trabalhadores com conta em banco. Esse crédito passará a ser feito nos meses de julho, agosto, setembro e outubro, de acordo com o mês nascimento do trabalhador.

Com isso, o Tesouro deixará de desembolsar de uma só vez, em julho, R$ 7,8 bilhões. O calendário antigo, elaborado pelo Ministério do Trabalho, permitia o pagamento do benefício a 40% do total de beneficiados em julho. O gasto total estimado com o abono é de R$ 16,7 bilhões.

Em contrapartida, os trabalhadores com direito ao benefício e que não têm conta em banco poderão sacar na boca do caixa das agências da Caixa a partir de julho. Antes, o saque nesses casos só era possível a partir de agosto. A antecipação do pagamento para esse grupo ajudou a vencer as resistências dos representantes dos trabalhadores no Codefat.

- A medida permite um tratamento mais igualitário entre os trabalhadores - disse Severo.

O abono corresponde a um salário mínimo e é destinado aos trabalhadores com renda de até dois salários e que tenham trabalhado pelo menos um mês com carteira assinada no ano anterior. Para ser contemplado, é preciso estar inscrito no PIS. l

Fonte: O Globo - 12/06/2014
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br