Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O bom texto não é escrito, é reescrito
Ovídio
07/05/2014

Câmara aprova texto principal da PEC do Orçamento Impositivo

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (6), em 1º turno, o texto principal PEC do Orçamento Impositivo, proposta de emenda à Constituição que obriga o governo a liberar recursos do Orçamento para as emendas parlamentares - despesas indicadas por deputados e senadores, em geral destinadas para obras em suas regiões de origem.

Os líderes partidários entraram em acordo para discutir destaques (propostas de exclusão de trechos do texto) e terminar a votação da matéria na próxima semana.

A PEC é um antigo desejo dos parlamentares, que argumentam que a proposta reduzirá o "toma-lá-dá-cá" entre Executivo e Legislativo. Até este ano, o Palácio do Planalto podia contingenciar os recursos previstos para emendas e negociar a liberação em troca da aprovação de projetos de interesse do governo.

A regra que obriga ao pagamento foi incluída na Lei de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2014, mas a continuidade para os anos seguintes depende da aprovação da PEC. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), discursou durante a votação e disse que a proposta fará com que os parlamentares nunca mais tenha que "mendigar favores do Executivo".

"Essa proposta diz respeito à sua altivez [do Legislativo], sua independência em relação aos governos de ontem e aos governos de hoje. [...] Diz respeito à nossa dignidade, nossa história, ao parlamento brasileiro", afirmou.

Pelo texto-base aprovado nesta terça, o governo fica obrigado a pagar as emendas em um limite de até 1,2% da Receita Corrente Líquida (RCL), a soma do que é arrecadado pelo governo, descontadas as transferências feitas por determinação constitucional ou legal para estados, municípios e Distrito Federal. Será considerada, para a contabilização do limite, a RCL do ano anterior à execução orçamentária.

A PEC do Orçamento Impositivo também determina que 50% das emendas parlamentares sejam destinadas para a área da saúde. Atualmente, cada parlamentar pode indicar até R$ 15 milhões em emendas, que não são necessariamente liberadas. Com o orçamento impositivo, cada um terá direito a um valor menor (R$ 13,8 milhões), mas com liberação garantida.

A PEC fixa ainda em 15% o percentual mínimo da receita corrente líquida que a União terá que destinar à saúde até 2018. Atualmente, a União é obrigada a aplicar na área o montante do ano anterior somado à variação nominal do Produto Interno Bruto (PIB). Os estados devem destinar 12% de sua receita tributária e os municípios, 15%.

Pela proposta do Orçamento Impositivo, até 2018 o governo deverá aplicar 15% da Receita Corrente Líquida para a saúde de forma escalonada. Dentro desse montante, estarão verbas das emendas parlamentares, recursos dos royalties do pré-sal e os repasses do Tesouro.

Fonte: G1
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br