Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Quanto mais espiritual o individuo faz a sua vida, menos medo ele terá da morte. Para uma pessoa espiritual a morte significa libertar o espírito do corpo. Tal pessoa sabe que as coisas com as quais vive não podem ser destruidas
Leon Tolstoi
13/01/2014

TCU apontou falta de critério em licenças para servidores

TRIBUNAL DE CONTAS DETERMINOU ADOÇÃO DE NORMAS MAIS RIGOROSAS EM 2011

Levantamento feito pela Folha apontou casos irregulares no Senado, apesar das regras adotas pela Casa

PATRÍCIA CAMPOS MELLO

DE SÃO PAULO

O Tribunal de Contas da União alerta desde 2007 para a falta de critério na maneira como o Senado e outros órgãos públicos concedem licenças para seus funcionários fazerem cursos de aperfeiçoamento profissional.

Como a Folha informou ontem, 143 servidores foram autorizados pelo Senado no ano passado a se afastar do trabalho temporariamente para fazer cursos dessa natureza, sem interrupção no pagamento do salário.

Em vários casos, as licenças foram concedidas para cursos de relevância duvidosa e sem o cumprimento de normas estabelecidas pelo próprio Senado, como a que exige carga horária mínima de 16 horas por semana.

Em 2007, o TCU abriu um processo para cobrar de todos os órgãos da administração federal critérios mais rigorosos na concessão das licenças. O processo foi concluído em 2011, quando o TCU determinou que todos editassem normas específicas para isso.

No acórdão que resumiu a decisão na época, o procurador-geral do Ministério Público no TCU, Lucas Rocha Furtado, apontou a "liberação generalizada" de cursos de línguas estrangeiras como uma das principais distorções.

"É óbvio que para alguns cargos específicos é fundamental o domínio de um ou mais idiomas. Contudo, isso não se aplica à maioria das carreiras", escreveu Furtado.

Dos 143 casos identificados pela Folha no Senado, 39 são de funcionários que se afastaram para fazer cursos de idioma, em alguns casos na internet. De acordo com as normas do Senado, cursos de línguas estrangeiras deveriam ser feitos em países onde o idioma é a língua oficial.

As normas do Senado foram publicadas em junho de 2011, pouco antes da conclusão do processo no TCU. Elas exigem que os cursos tragam "conhecimentos relevantes" para o Senado, mas a Folha encontrou situações em que funcionários conseguiram autorização até para fazer cursos de bullying e filosofia.

Na semana passada, a assessoria de imprensa do TCU afirmou que "a questão principal é se o curso realizado está diretamente relacionado com a função do servidor".

Em resposta aos questionamentos da Folha, o Senado afirmou que as normas estabelecidas em 2011 têm sido cumpridas. De acordo com a interpretação do Senado, embora as normas internas falem em cursos de idiomas em outros países, elas não proíbem que os funcionários façam seus cursos no Brasil.

Fonte: Folha de S. Paulo
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br